Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Guaidó denuncia intimidação das forças de segurança no dia em que um novo parlamento é empossado

Em uma rede social, a oposição ao regime de Nicolás Maduro disse que a residência de Juan Guaidó foi cercada por agentes de segurança; nesta terça-feira uma nova Assembleia Nacional toma posse no país.

 

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, disse nesta terça-feira (5) que o regime de Nicolás Maduro tenta "gerar terror e militarizar o parlamento" no dia em que uma nova Assembleia Nacional, de maioria chavista, é empossada.

A Presidência interina da Venezuela denunciou nesta manhã a presença de agentes de Maduro em frente a residência de Guaidó, em Caracas. Em fotos publicadas em uma rede social, é possível ver cerca de 13 homens aparentemente armados e mascarados e ao menos dois carros pretos.

"Esse é o método da ditadura e é por isso que ela cometeu crimes de lesa humanidade", disse Guaidó em uma rede social. "Enfrentamos obstáculos e seguimos adiante."

Imagem feita pela Presidência interina da Venezuela mostra homens aparentemente armados em frente a casa do líder opositor Juan Guaidó em 5 de janeiro de 2021 — Foto: Reprodução/Twitter/Presidencia_VE

Também nesta terça, uma nova Assembleia Nacional toma posse no país controlada por aliados de Maduro. A formação do parlamento foi definida após eleições marcadas por altos níveis de abstenção e boicote da oposição, em 6 de dezembro.

A Assembleia, até então presidida por Guaidó, era o único poder que não estava sob comando de aliados de Maduro. No entanto, desde 2017 a Casa está praticamente sem poderes, já que o Supremo Tribunal a declarou em desacato e anulou todas as suas decisões.

Os chavistas controlarão 256 dos 277 assentos do parlamento. A oposição, liderada por Guaidó, prometeu enfrentar a nova formação do congresso e questiona a legitimidade das eleições que tiveram a menor participação dos últimos 15 anos, com 31%.

"Em respeito a Venezuela e a nossa constituição, não podemos permitir que exista um vazio de poder", disse Guaidó. "Como não há deputados legitimamente eleitos para o novo período legislativo, corresponde ao parlamento eleito em 2015 seguir trabalhando até que haja uma eleição válida."

A Assembleia Nacional

A eleição anterior para a Assembleia Nacional aconteceu em 2015. Naquela ocasião, a oposição venceu com folga e passou a dominar o Legislativo do país.

Em 2017, as cortes de Justiça com pessoas favoráveis ao regime de Maduro criaram um outro poder legislativo, uma Assembleia Nacional Constituinte.

Guaidó, o líder da Assembleia Nacional, fez campanha pelo boicote às eleições de 6 de dezembro. A oposição fez uma consulta popular questionando a legitimidade do pleito.

VÍDEOS mais vistos da semana

20 vídeos VÍDEO: Imagens mostram 'onda de lixo' na praia de São Conrado Parentes filmavam fogos quando menina foi atingida por bala perdida no Turano Vídeo mostra chuva com granizo em Bom Retiro

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agroindústria

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE