Notícias

Notícias

Fechar
PUBLICIDADE

Notícias

MP Eleitoral investiga distribuição de cheques de programa da Cohab às vésperas das eleições no Pará

Cheques no valor de R$ 300 teriam sido distribuídos em locais de votação de Vigia e Colares, segundo MP.

 

O Ministério Público Eleitoral apura denúncias de distribuição de cheques de R$300 em locais de votação de Vigia e Colares. A investigação foi iniciada na terça (17) pelo promotor de justiça Rui Barbosa Lamim.

Segundo o MPPA, a investigação começou após a Promotoria receber denúncias de que a Companhia de Habitação do Estado (Cohab) estaria distribuindo diversos cheques do programa Sua Casa às vésperas do 1º turno da eleição. O programa é iniciativa do governo estadual, para fornecer recursos às pessoas de baixa renda, para que possam melhorar moradias.

O presidente da Cohab e coordenador do programa Sua Casa devem ser oficiados para prestar esclarecimentos sobre o assunto.

Em nota, a Cohab disse que não foi notificada.

Denúncia

Segunda as denúncias, a distribuição foi feita por servidores da Cohab na sexta (13). Relatos apontam, de acordo com o MPPA, que teriam sido entregues cheques de R$300 para um grande número de pessoas. Em Vigia, 236 moradores teriam recebido o valor.

O promotor Rui Lamim explica que ainda que o programa Sua Casa já existisse, a distribuição dos cheques em data próxima às eleições e nos locais de votação é preocupante e demonstra intuito eleitoral para favorecer candidatos aliados.

“A forma como a distribuição aconteceu beneficiou candidatos que têm apoio do governo do estado”, aponta.

Lamim explica ainda que houve possível violação da Lei Eleitoral (9504/97) que proíbe distribuição gratuita de bens e serviços sociais pagos pelos Poder Público para promover candidatos, partidos políticos ou coligações.

A conduta pode ser vista como crime eleitoral grave, pois desequilibra a eleição em favor de candidatos apoiados pelo governo, segundo o MPPA.

O promotor afirmou também que a ação da Cohab pode ser entendida como compra de votos e abuso de poder político.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Notícias

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE