Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Mortes por Covid-19 nos EUA chegam a 250 mil, diz monitoramento

País vive piora nos números diários de casos e mortes por coronavírus em meio a um impasse na transição de governo. Equipe de Joe Biden pressiona governo de Donald Trump dados nacionais sobre a pandemia.

 

O número de mortes por Covid-19 nos Estados Unidos chegou a 250 mil, aponta monitoramento da Universidade Johns Hopkins nesta quarta-feira (18). O país é o mais atingido, em números absolutos, pela pandemia do coronavírus.

Segundo o levantamento da universidade, os EUA acumulam 11,4 milhões de casos da doença desde o primeiro diagnóstico do vírus em solo americano, em janeiro. Isso representa também o maior número de registros do coronavírus em um só país.

Teste para o coronavírus em Seattle, nos EUA, nesta quarta-feira (18) — Foto: Elaine Thompson/AP Photo

Os EUA, assim como outros países do Hemisfério Norte, vivem uma nova onda de casos e mortes pela Covid-19. A situação fica ainda mais preocupante porque a pandemia começou a se espalhar pelo interior do país, o que não ocorreu com a mesma força no primeiro pico da doença.

Isso não significa que as cidades maiores tenham sido poupadas desta nova alta da Covid-19. Nova York, por exemplo, metrópole duramente atingida pelo novo coronavírus entre março e abril, voltou a apresentar índices altos de transmissão e, por isso, determinou nesta quarta o fechamento de escolas.

Casos e mortes por Covid-19 nos EUA nesta quarta (18) — Foto: Reprodução/Johns Hopkins

Equipe de Biden quer dados sobre Covid

As novas altas da pandemia nos EUA ocorrem em um contexto de mudança de governo do país. O presidente Donald Trump, derrotado na tentativa de reeleição, tem se recusado a reconhecer Joe Biden como presidente eleito. E, nesse cenário, a equipe do democrata pressiona o republicano a fornecer informações sobre o coronavírus.

Uma equipe de médicos e enfermeiros dos EUA se posicionou contra a recusa do governo Trump em passar os dados da pandemia. Em carta, os profissionais disseram que o inverno do hemisfério norte pode trazer uma nova onda de mortes pela Covid-19 com a contaminação comunitária se alastrando pelo país, com as hospitalizações em nível recorde.

  • RELATO: Enfermeira diz que pacientes com Covid são deixados para morrer em hospital nos EUA
  • ANÁLISE: Donald Trump é o maior entre os patos mancos da Casa Branca

Biden faz alerta sobre as consequências negativas da recusa de Trump em reconhecer derrota

Biden faz alerta sobre as consequências negativas da recusa de Trump em reconhecer derrota

"Dados e informações em tempo real sobre o fornecimento e a oferta de tratamentos, testes, equipamentos de proteção individual, ventiladores, capacidade hospitalar e disponibilidade das forças de trabalho para planejar o destacamento dos ativos do país precisam ser compartilhados para salvarmos um número incontável de vidas", disse a carta, assinada pela liderança da Associação Médica Americana, pela Associação de Enfermeiros Americanos e pela Associação de Hospitais Americanos.

CORONAVÍRUS

  • VÍDEOS: Coronavírus: perguntas e respostas

  • VACINA: testes estão em andamento pelo mundo; SIGA as novidades

  • Manual das máscaras: como fazer, como usar e a importância do uso

  • Como se prevenir do coronavírus?

  • Saiba quais os sintomas do coronavírus e quando procurar um médico

  • Veja o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus

VÍDEOS: reportagens do JN sobre o coronavírus

20 vídeos Média móvel de mortes e casos por Covid segue em forte tendência de alta no Brasil Pfizer e BioNTech se tornam as primeiras a concluir testes da vacina anti-Covid Veja no JN detalhes do anúncio do fim dos testes clínicos da vacina da Pfizer contra Covid

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agroindústria

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE