Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Donald Trump perde uma das ações na Justiça da Pensilvânia

A Suprema Corte do estado da Pensilvânia decidiu que os observadores do Partido Republicano tiveram acesso adequado à contagem de votos. Em uma ação federal, os advogados de Trump afirmam que os eleitores que enviaram votos por correio puderam fazer

 

A campanha de Donald Trump perdeu, na terça-feira (17), um dos processos em que move contra os oficiais eleitorais do estado da Pensilvânia para tentar reverter a derrota nas urnas.

A votação para presidente aconteceu no dia 3 de novembro. No dia 7, as projeções apontaram que Joe Biden foi o vencedor. Trump se recusa a aceitar o resultado e fez uma ofensiva na Justiça para tentar impedir a contabilização dos votos nos locais onde seu adversário foi bem.

  • Sandra Cohen: O maior entre os patos mancos da Casa Branca

Nessa ação específica, os advogados argumentavam que os observadores do Partido Republicano não tiveram o acesso adequado à contagem dos votos porque foram obrigados a ficar a uma distância dos fiscais que checavam as cédulas.

Diretor que reiterou que eleições nos EUA foram seguras é demitido por Trump

Diretor que reiterou que eleições nos EUA foram seguras é demitido por Trump

Por 5 votos a 2, a Suprema Corte da Pensilvânia decidiu que o acesso dado aos observadores foi adequado.

Esse não é o único argumento que os advogados de Trump lançaram para tentar reverter os votos da Pensilvânia, um dos mais importantes para o resultado das eleições.

Veja vídeos das eleições nos EUA

20 vídeos Diretor que reiterou que eleições nos EUA foram seguras é demitido por Trump Donal Trump demite diretor de agência que assegurou a lisura das eleições americanas Biden faz alerta sobre as consequências negativas da recusa de Trump em reconhecer derrota

Em um outro processo, eles reclamam que seis condados no estado permitiram que os eleitores que enviaram votos pelo correio puderam fazer correções em cédulas que seriam desqualificadas por algum motivo técnico –por exemplo, a falta de um envelope que deveria ser obrigatório ou falta de assinatura.

Esse outro processo corre em um corte da Justiça Federal, e não da Justiça do estado da Pensilvânia.

O advogado que lidera a equipe de Trump nessa ação é Rudolph Giuliani, que foi prefeito da cidade de Nova York. Ele argumenta que os votos nos condados que permitiram essas alterações devem ser descartados.

O juiz do caso, Matthew Brann, disse que se ele concordar com Giuliani, ele estará desconsiderando o voto de mais de 6,8 milhões de americanos, e deu indicações de que não vai aceitar o argumento.

“Você pode me responder como esse resultado pode ser aceitável?”, ele perguntou a Giuliani.

O advogado de Trump respondeu que o remédio precisa ter um escopo grande porque o dano teve um escopo grande.

Atraso no estado de Michigan

Em outro estado, Michigan, os fiscais do Partido Republicano barraram a certificação de uma parte dos resultados durante algumas horas, mas depois voltaram atrás.

O caso aconteceu na terça-feira. Há um conselho de quatro pessoas que precisa validar os resultados. Metade dos membros são do Partido Republicano, e a outra metade, do Partido Democrata.

Inicialmente, os dois republicanos afirmaram que não iriam certificar a contagem porque em alguns locais havia indicações de que havia mais votos que eleitores.

No entanto, duas horas depois, os dois republicanos voltaram atrás e aceitaram dar seu aval aos resultados.

20 vídeos Câmera de segurança registra 'clarão' causado por queda de meteoro no RS Criança é arremessada ao ser atingida por carro e sai andando Jacaré gigante atravessa campo de golfe na Flórida

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agroindústria

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE