Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Holanda alerta contra linchamentos de suspeitos de pedofilia

Polícia pede que justiceiros parem de agir; professor aposentado foi espancado por grupo de adolescentes após ser atraído para encontro com menor de idade.

 

A polícia da Holanda pediu o fim da "caça aos pedófilos" no país em meio a uma onda de justiçamento que resultou, mais recentemente, na morte de um professor aposentado de 73 anos, espancado por um grupo de adolescentes.

O delegado Oscar Dros disse que há risco de mais mortes e pediu que as pessoas deixem a justiça para as autoridades.

O homem de 73 anos foi atraído para um encontro por meio de um bate-papo gay para ter contato sexual com um menor de idade.

As autoridades disseram que o professor aposentado estava ciente de que o menino era menor, mas não havia evidências de que ele tivesse tido contatos sexuais anteriores com outros menores.

O ataque na cidade de Arnhem é o mais recente de uma série de 250 incidentes cometidos pelos chamados "caçadores de pedófilos" na Holanda.

O que aconteceu em Arnhem?

Segundo a imprensa holandesa, o grupo de adolescentes teve a ideia de caçar um pedófilo depois de ler histórias semelhantes em outras partes da Holanda.

O ex-professor chegou ao local combinado para o encontro no dia 28 de outubro e foi seguido quando retornou à sua casa. Ele foi espancado por um grupo de meninos e mais tarde morreu no hospital.

O prefeito, Ahmed Marcouch, descreveu o crime como "horrível" com um impacto "tremendo" na comunidade. Dezenas de vizinhos, amigos e ex-alunos participaram de uma cerimônia em homenagem à vítima na semana passada.

Jamil Roethof, advogado de um menino de 15 anos implicado no ataque, disse ao site de notícias local De Gelderlander que a ideia de caçar pedófilos veio do "tédio do coronavírus".

No último fim de semana, foi realizada uma cerimônia de homenagem ao professor assassinado — Foto: EPA

Roethof disse que os adolescentes só queriam repreender o homem e não tinham a ideia premeditada de atacá-lo. Ele sugeriu que o ex-professor havia morrido de uma queda.

Sete jovens foram presos, seis deles com menos de 18 anos.

O que a polícia diz?

O chefe da polícia regional Oscar Dros apelou aos cidadãos para "parar a caça aos pedófilos, prisões e provocações." "Deixe isso em nossas mãos", pediu.

Dros disse ao jornal Algemeen Dagblad que houve cerca de 250 incidentes envolvendo esses "caçadores" desde julho, mas provavelmente há muitos mais. A prática foi proibida pela polícia e pelo Ministério Público.

Existem casos de pessoas que foram retiradas das estradas, que foram agredidas, ameaçadas e publicamente envergonhadas na internet.

Grupos do Facebook surgiram em todo o país e alguns atraíram milhares de membros.

Um desses membros disse ao canal de notícias público NOS: "Estamos a fazendo isso para proteger as crianças."

Minutos depois de entrar em um bate-papo, disse ele, "cinco ou seis homens tentam conhecê-lo sabendo perfeitamente que você é um menor". "Isso não está certo", ressaltou.

A polícia holandesa disse que esse comportamento de vigilância "não tem efeito porque muitas vezes as provas que esses cidadãos obtêm são nulas".

E acrescentou que não conhece nenhum caso que tenha levado a uma denúncia de pedófilo.

Assista a mais notícias internacionais:

20 vídeos Trump fala em público pela primeira vez depois da derrota Manifestantes e polícia entram em confronto no Peru OMS anuncia plano para armazenar material patogênico na Suíça

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agroindústria

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE