Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Centenas protestam contra violência policial na Nigéria; polícia dispersa manifestantes a tiros, diz agência

Protestos começaram a quase duas semanas, e o governo decretou toque de recolher em Lagos, maior cidade do país. Anistia Internacional estima 18 pessoas mortas nos atos.

 

Policiais dispersaram a tiros mais de 1 mil manifestantes que protestavam pacificamente em Lagos, maior cidade da Nigéria, na noite desta terça-feira (20). O local está sob toque de recolher como medida do governo para tentar conter uma série de protestos que segue crescendo no país.

Testemunhas relataram à agência France Presse que ouviram muitos tiros e que precisaram correr. Vídeos divulgados nas redes sociais mostravam feridos. Estima-se que 18 pessoas morreram desde o início dos protestos, iniciados há cerca de duas semanas — não se sabe se houve mortos após a repressão desta noite.

Manifestantes protestam nas ruas de Lagos, maior cidade da Nigéria, nesta terça-feira (20) — Foto: Benson Ibeabuchi/AFP

O governo nigeriano alega que impôs o toque de recolher por tempo indeterminado em Lagos por causa de um aumento da violência entre os manifestantes. Mesmo assim, cerca de 1 mil manifestantes permaneceram nas ruas de Lagos.

"Estamos preocupados? Não, morreremos aqui!", gritava a multidão, que balançava bandeiras nigerianas.

Contra violência policial

Manifestantes participam de protesto em Lagos, na Nigéria, nesta terça-feira (20) — Foto: Sunday Alamba/AP Photo

Após mais de dez dias de manifestações contra a violência policial, que começaram em cidades do sul e resultaram em um movimento de protesto juvenil contra o governo em todo o país, vários incidentes foram registrados na manhã desta terça-feira. Os atos também reivindicavam melhora no cenário econômico da Nigéria.

Pela manhã, em Lagos, grupos de jovens indignados tomaram o controle de quase todas as ruas da metrópole de 20 milhões de habitantes, bloqueando os motoristas e deixando alguns veículos passarem em troca de dinheiro, observou um jornalista da AFP.

No oeste da cidade, uma delegacia da polícia foi incendiada. Houve disparos e várias pessoas foram feridas por balas.

"As manifestações pacíficas se tornaram um monstro que ameaça o bem-estar da nossa sociedade", declarou o governador Babajide Sanwo Olu antes de anunciar o toque de recolher.

"Criminosos e arruaceiros se escondem sob o guarda-chuva destes protestos para provocar o caos no nosso estado", denunciou.

Na capital federal, Abuja, dezenas de veículos e prédios foram incendiados e a polícia foi enviada ao local, segundo um jornalista da AFP. No norte, em Kano, centenas de jovens foram às ruas nesta terça e alguns queimaram carros e lojas, informou a agência.

VÍDEOS mais assistidos do G1

20 vídeos Vídeo mostra funcionário de hotel entrando em quarto de mulher que denunciou estupro no RJ Ação contra grupo de milicianos em Itaguaí termina com 12 suspeitos mortos Ministro Marco Aurélio Mello e Luiz Fux, presidente do STF, discutem durante julgamento

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agroindústria

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE