Agricultura

Agricultura

Fechar
PUBLICIDADE

PIB-Agro

PIB-Agro: PIB agro cresce 5,26% no 1º semestre, a maior alta para o período

 

Clique aqui e baixe release completo em word.     Clique aqui e confira o relatório completo.     Cepea, 23/09/2020 – O PIB do agronegócio brasileiro cresceu novamente em junho, completando, assim, seis meses sucessivos de alta em 2020, de acordo com cálculos do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, realizados em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).  

Diante disso, no balanço do primeiro semestre, o avanço do PIB chegou a 5,26%. Segundo pesquisadores do Cepea, esse aumento é o maior registrado pelo setor em um primeiro semestre, considerando-se toda a série histórica do PIB, iniciada em 1995.

 

Pesquisadores do Cepea indicam que o excelente resultado reflete principalmente a volumosa safra de grãos, o bom ritmo de comercialização no mercado doméstico, o intenso desempenho das exportações e os elevados preços reais para diversos produtos do setor.

 

Entre os segmentos do agronegócio, o único que recuou no acumulado do período foi o agroindustrial, segmento mais afetado pelos efeitos da covid-19. Embora a agroindústria de base pecuária também tenha sentido algum efeito da pandemia sobre os preços de seus produtos (sobretudo em maio, com forte recuperação já em junho), o impacto negativo mais acentuado da crise sanitária e econômica decorrente foi verificado para a agroindústria de base agrícola.

 

No outro extremo, a agropecuária (ou segmento primário) manteve destaque em crescimento no primeiro semestre do ano e impulsionou o PIB do agronegócio. No caso da agricultura, o bom resultado decorre da combinação de preços e produção em alta. Já para a pecuária, o principal impulso ao PIB relaciona-se aos preços elevados de boi gordo, ovos e suínos, já que a produção média da indústria pode recuar no ano, pressionada para baixo pela produção de bovinos para corte.

 

Os segmentos de insumos e de agrosserviços também cresceram no semestre. No primeiro caso, o PIB do segmento foi impulsionado pela maior produção de fertilizantes, defensivos e rações e também por maiores preços para as duas últimas atividades. No caso dos agrosserviços, o forte crescimento do PIB reflete, por um lado, a continuidade do abastecimento do mercado doméstico, apesar dos problemas logísticos e dos desafios impostos pela pandemia, e por outro, o excelente desempenho em termos de exportações.

 

Outras informações sobre o PIB brasileiro aqui e por meio da Comunicação Cepea, com o prof. Geraldo Barros e a pesquisadora Nicole Rennó: cepea@usp.br.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agricultura

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE