Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Advogado de Johnny Depp pede que a justiça '''lave o nome''' do ator no fim do julgamento em Londres

Após três semanas de depoimentos, juiz anunciará deliberação em data posterior ainda não informada.

 

No último dia de mais de três semanas de um processo "doloroso" que se transformou em uma exposição da vida privada de Johnny Depp, seu advogado pediu, nesta terça-feira (28), que a Justiça "limpe o nome" da estrela, que processou o tablóide The Sun por tê-lo chamado de marido violento.

Acusações mútuas de violência, uso de drogas ou suspeitas de infidelidade: a vida do casal formado por Depp e a atriz americana foi exposta a todos na Alta Corte de Londres, incluindo os detalhes mais difíceis.

No último dia das audiências, a atriz de 34 anos declarou à imprensa que preferiu não participar do processo, no qual foi citada como testemunha do The Sun.

"Mantenho minhas declarações", disse Amber e destacou que "os detalhes mais traumatizantes e íntimos" de sua vida com Johnny Depp foram levados à Justiça e "espalhados pelo mundo inteiro".

Na sala de audiências, depois de ouvir os argumentos finais das duas partes, que durante o processo trocaram acusações mútuas, o juiz Andrew Nicol anunciará sua deliberação em uma data posterior.

O advogado do ator, David Sherborne, atacou duramente a matéria de abril de 2018, segundo a qual o ator, de 57 anos, era violento com sua então esposa.

Sherbone defendeu que, longe de ser o autor da violência conjugal, Johnny Depp na verdade a sofreu. O advogado pediu ao juiz para "limpar" o nome do ator destas "acusações escandalosas e falsas", lançadas contra ele neste processo "doloroso". Segundo ele, ao perder sua "reputação", Depp "perdeu tudo".

No entanto, continua recebendo o apoio de vários fãs. Dezenas de fãs da estrela de "Edward mãos de tesoura" se aglomeraram logo cedo, na esperança de vê-lo, ou para lhe entregar flores, ou bichos de pelúcia. Outros levavam cartazes, reivindicando "Justiça para Johnny".

Seu advogado listou metodicamente as falhas e modificações nas declarações de Amber Heard, para desacreditar seu relato como um todo, chamando-a de "mentirosa compulsiva".

Denunciou também as "contusões mágicas" de Heard, que "só aparecem quando ela está sozinha ou com seus amigos", lamentando que, na ausência de evidências médicas independentes, a justiça britânica tenha passado três semanas examinando o "catálogo" de itens fornecidos pela atriz.

Sherbone riu da teoria de que Depp seria um "monstro" quando na verdade, disse, ele dá meia volta em caso de conflito. "Aqui está o monstro, a pessoa que foge!", argumentou ironicamente, depois de ter reproduzido a gravação de uma discussão do casal na qual Heard admite ter agredido Depp.

"A portas fechadas"

O casal se conheceu nas filmagens de "Diário de um Jornalista Bêbado" ("The Rum Diary"), em 2011, e se casou em fevereiro de 2015, em Los Angeles. O divórcio aconteceu no início de 2017.

Naquela época, a atriz citou "anos" de violência "física e psicológica", o que Johnny Depp sempre negou.

No processo de divórcio, Amber Heard retirou a denúncia, e Johnny Depp pagou US$ 7 milhões, quantia que a atriz destinou a várias instituições.

O ator admitiu um consumo abusivo de drogas e álcool, mas acusou a atriz de "A Garota Dinamarquesa" de violência.

"Eu o amava e não queria perder isso (...) sua outra face era a de um monstro, mas eu sempre mantive a esperança de que ele se desintoxicasse", declarou Amber Heard no tribunal, na semana passada.

Na segunda-feira, a advogada do jornal pronunciou sua acusação contra o ator que deu vida ao capitão Jack Sparrow na franquia "Piratas do Caribe". Sasha Wass destacou os excessos do ator, "sujeito a mudanças irracionais de humor" quando bebe e consome drogas.

Nenhuma testemunha assistiu aos atos violentos, ela afirmou, já que, "por natureza", a violência conjugal ocorre "a portas fechadas".

Amber Heard "amava" Johnny Depp, e o início de sua relação foi "idílico", acrescentou Sasha Wass.

Em março de 2013, porém, Johnny Depp se viu pego por seus velhos demônios.

"Johnny Depp sabia que as drogas e o álcool poderiam transformá-lo em um monstro", disse a advogada.

Embora tenha rejeitado as acusações de infidelidade feitas pela defesa de Depp, com o bilionário Elon Musk, ou com o ator James Franco, a atriz admitiu que agrediu o agora ex-marido uma vez: para defender sua irmã.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Variedades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE