Notícias

Notícias

Fechar
PUBLICIDADE

Notícias

Abrigo para pessoas em situação de rua encerra atividades em Santarém

Mais de 70 pessoas foram acolhidas na sede do Panterão desde o dia 6 de abril.

 

Um café da manhã neste sábado (25), marcou o encerramento das atividades de acolhimento de pessoas em situação de rua na sede do São Raimundo Esporte Clube, o Panterão, em Santarém, oeste do Pará. O abrigo iniciou as atividades em 6 de abril de ano, como medida preventiva à contaminação pelo novo coronavírus.

A iniciativa do Governo do Estado do Pará contou com a parceria da Prefeitura de Santarém, por meio das secretarias de Saúde, Assistência Social, Divisão de Vigilância Sanitária e coordenadoria municipal de Defesa Civil, Arquidiocese, Ufopa, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, entre outros parceiros.

Durante os quase quatro meses de atividades, o abrigo acolheu 77 pessoas em situação de rua. Uma delas foi a Merilane Magalhães, de 60 anos, natural de Manaus. Vivendo nas ruas de Santarém há 10 anos, ela foi uma das primeiras pessoas recebidas no abrigo. Merilane gostou da experiência e disse que foi bem cuidada durante o período de acolhimento. “Quando fiquei sabendo desse vírus, eu fiquei com medo, aí surgiu a oportunidade de ficar no abrigo e foi muito bom, eu fui bem cuidada”, contou.

Para o secretário regional de Governo, Henderson Pinto, o abrigo cumpriu seu papel na proteção das pessoas em situação de rua que estavam mais vulneráveis ao novo coronavírus. “Hoje nós encerramos as atividades de acolhimento desse programa instituído desde o dia 16 de março em todo o Pará. Aqui em Santarém a parceria com a Prefeitura e diversos órgãos foi fundamental para que o abrigo cumprisse seu papel”, disse.

Henderson também lembrou de pessoas comuns que ajudaram no acolhimento às pessoas de rua. “A gente não pode deixar de agradecer às pessoas do povo que passaram na sede do São Raimundo e deixaram as suas doações de alimentos, roupas, produtos de higiene, lençóias, assim também como na Semtras e no Centro Regional de Governo. E também agradecer ao São Raimundo que cedeu o espaço por esses meses para o acolhimento”, ressaltou.

Kits com materiais de higiene pessoal foram doados a cada um dos acolhidos no abrigo — Foto: Agência Pará/Divulgação

As seis pessoas em situação de rua que ainda estão no abrigo ainda ficam no local durante o fim de semana e a partir de segunda-feira (25) passam a ser atendidas pelo Centro Pop Dom Lino Vombommel.

Segundo a secretária municipal de Trabalho e Assistência Social, Celsa Brito, o Centro Pop não funciona como abrigo, mas presta atendimento à população em situação de rua. “O Centro Pop continua funcionando, está servindo refeições, faz os encaminhamentos de saúde e de documentação. No momento, em razão de não ser recomendado fazer aglomeração, as atividades em grupo seguem suspensas”, explicou.

Sobre o acolhimento, Celsa disse que foi uma experiência enriquecedora para a equipe da Semtras. “Nós já fazemos atendimento à população de rua no Centro Pop, mas no acolhimento vivenciamos agora uma experiência diferente com o abrigo que funcionou no São Raimundo e foi muito importante pra nós”, pontuou.

*Colaborou Érique Figueirêdo, da Tv Tapajós

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Notícias

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE