Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Kim Jong-un suspende planos de ação militar contra o Sul

Anúncio é feito depois de a Coreia do Norte cortar canais de comunicação oficiais com a vizinha do Sul e destruir o escritório de relações entre os dois países.

 

Após vários dias de tensão na península, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, suspendeu os planos de ação militar contra a Coreia do Sul, anunciou a imprensa estatal norte-coreana nesta quarta-feira (24).

Pyongyang havia intensificado recentemente os ataques verbais contra Seul, criticando especialmente os dissidentes norte-coreanos presentes no Sul que enviam panfletos de propaganda em direção ao Norte com o uso de balões.

Depois de romper os canais de comunicação oficiais, a Coreia do Norte destruiu na semana passada o escritório de relações entre os países que havia sido inaugurado em setembro de 2018, ao norte da Zona Desmilitarizada (DMZ).

Nesta quarta, a agência oficial de notícias da Coreia do Norte, KCNA, informou que Kim presidiu uma reunião da Comissão Militar Central que "suspendeu os planos de ação militar contra o Sul". A agência não divulgou explicações sobre a aparente mudança de estratégia.

A Coreia do Sul reagiu de maneira enérgica após a demolição do escritório de relações, assim como em relação às declarações da irmã e conselheira de Kim Jong-un, Kim Yo Jong, que recentemente se tornou a face visível do governo.

"Advertimos que não vamos mais tolerar ações e palavras irracionais do Norte", afirmou um porta-voz da presidência sul-coreana.

As relações intercoreanas estão paralisadas desde o fracasso de uma reunião em Hanói entre Kim e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no início de 2019.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, inicialmente negociou um diálogo entre Pyongyang e Washington, mas o Norte agora o culpa por não persuadir o governo dos Estados Unidos a flexibilizar as sanções econômicas.

A reunião pretendia discutir as concessões que a Coreia do Norte estava disposta a aceitar para que os países ocidentais reduzissem as sanções econômicas implementadas contra o regime.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Agroindústria

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE