Agricultura

Agricultura

Fechar
PUBLICIDADE

Agricultura

a hora dos drones: faturamento de agtech cresce mais de 70%.

 
 -   /
/ /

Em um mercado aquecido, todo o agronegócio brasileiro viu empreendedores e agricultores recorrerem à tecnologia como uma aliada na produção e inovação para o setor. Com processos cada vez mais sofisticados e aperfeiçoados, os drones são uma das tecnologias que têm conquistado fazendeiros e dominado os céus dos campos.

À exemplo disto, a ARPAC - startup especializada em serviços agrícolas - vem registrando a cada mês saldos positivos de crescimento, ainda que neste cenário de isolamento urbano frente ao avanço do coronavírus no Brasil. Mesmo agora antes do fechamento do mês de abril, a startup já registrou crescimento de praticamente 220% em hectares sobrevoados, em comparação com o mesmo período em 2019, chegando a um total de 2.002,09 ha.

Além disso, até o final do mês a startup prevê faturar 71,13% a mais que em abril de 2019. "Mesmo em meio à pandemia, o agronegócio não parou e o setor não tem sido afetado diretamente", comenta Eduardo Goerl, CEO e fundador da ARPAC. "Este crescimento é uma resposta de todos os investimentos que realizamos anteriormente em marketing e operações, somado ao contexto de crescimento de todo o setor, no Brasil", completa.

Mesmo em meio à crise e desaceleração da economia em decorrência do coronavírus, os agricultores têm optado por drones pulverizadores por conta da economia gerada pela catação em grandes áreas e acessibilidade em áreas de relevo acidentado além de também ter uma aplicação mais assertiva. "Quando estamos em campo, é necessário apenas o drone, os equipamentos para operação e o condutor da aeronave, o que tranquiliza os clientes, amplia a assertividade da aplicação e assim como grande parte das atividades agrícolas, evita aglomerações desnecessárias", comenta Eduardo Goerl.

De acordo com os dados de projeção da empresa este ano, os meses seguintes, como maio, devem seguir o crescimento constante. De acordo com as projeções da empresa, tomando por base o fluxo e as demandas e contratos já aprovados, a expectativa é de aumento de 56,6% em áreas sobrevoadas, comparando com o mês de abril. Com isso, a empresa segue com seu plano de expansão para 2020. "Até o final do ano pretendemos aumentar a nossa frota operacional em números de hubs e drones e investir em novas contratações", explica Eduardo.

Atualmente a ARPAC atua nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, mas prevê ampliar seu campo de atuação para novas praças operacionais.

 

 


PUBLICIDADE

Mais Lidas em Agricultura

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE