Pecuária

Pecuária

Fechar
PUBLICIDADE

Pecuária

Adoção de tecnologia de baixa Emissão de Carbono beneficia cerrado e produtor.

 
 -   /
/ /

Ao adotar a tecnologia Recuperação de Pastagens Degradadas por meio do Projeto ABC Cerrado e receber capacitação e Assistência Técnica e Gerencial do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o produtor rural Konrado Meighs Nercs Vago viu a propriedade de 200 hectares em Serra Dourada (BA) aumentar a produtividade.

Ele é um dos produtores rurais atendidos pela iniciativa e virá a Brasília para a apresentação dos resultados finais do projeto na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) no próximo dia 06 de novembro.

O ABC Cerrado é realizado conjuntamente pelo Senar, Ministério da Agricultura e Embrapa com recursos do Programa de Investimento Florestal (FIP, na sigla em inglês), que são gerenciados pelo Banco Mundial.

“Participar do projeto foi muito positivo não só para minha propriedade, mas para todos os envolvidos, além de servir como exemplo para meus vizinhos de porteira”, afirmou Meighs.

O projeto forneceu capacitações em quatro tecnologias: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF), Sistema Plantio Direto, Recuperação de Pastagens Degradadas e Florestas Plantadas, com duração de 56 horas para cada uma. O produtor que recebeu assistência técnica contou com visitas mensais do Senar durante 18 meses, onde recebeu orientações para melhorar os índices produtivos, econômicos e ambientais em sua propriedade por meio do uso de tecnologias de baixa emissão de carbono.

Konrado Meighs, que é produtor de leite, destacou que um dos principais ganhos com o projeto foi a assistência técnica e gerencial. Ele recebeu informações sobre procedimentos de conservação de água através da construção de curvas de nível para conter erosões na fazenda.

“A água sempre fazia valas e não conseguíamos fazer a pastagem nascer nesses locais. Depois que fizemos curvas de nível, as erosões pararam e a pastagem brotou. Outro diferencial importante para nós foi a inserção de calcário. A pastagem permaneceu mais verde mesmo em períodos de seca e não tivemos mais perdas de animais.”

Além das curvas de nível, o projeto ABC Cerrado também incentivou o uso de outras práticas conservacionistas como proteção de nascentes, uso de terraços, conservação de encostas e recuperação de mata ciliar. Do início do projeto em 2016 até agora, mais de 192,5 mil hectares de vegetação nativa foram conservados por produtores rurais nos sete Estados atendidos (Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Piauí e Tocantins) e mais o Distrito Federal.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE