Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

BOLETIM AGRO: Embarques de milho em agosto têm alta de 169,2%

E mais nesta edição: alertas de chuvas intensas para SC e RS

 
 -   /
/ /
ÁUDIOTEXTO PARA RÁDIOCréditos: Arquivo CNAOlá, eu sou o Raphael Costa e esta é mais uma edição do Boletim Agro. Você acompanha, agora, os principais destaques do agronegócio.

Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) dão conta de uma safra recorde de milho, com 100 milhões de toneladas. E no quesito dos embarques para exportação, o mês de agosto registrou uma alta de 169% no comparativo com agosto do ano passado. Quem vai nos dar mais detalhes sobre esses números é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas

Seja bem-vinda, Carla.

“O Brasil exportou, somente em agosto, 7,6 milhões de toneladas – o que gerou ao país uma receita de mais de US$ 1,3 bilhões. Realmente, temos muita competitividade com o milho do mercado exterior, mercado de exportação. O recorde anterior para o mês de agosto tinha sido de 2017, quando o Brasil exportou 5,3 milhões de toneladas, mais de duas toneladas a mais. Com esse recorde batido em 2019 e com perspectivas de fechar esse ano com um volume também recorde.”

E o MAPA publicou, nesta semana, no Diário Oficial da União, medidas para redução de gastos do governo. Entre as ações, estão a suspensão de contratações e veto ao aumento a mão de obra terceirizada. Há mais coisas nesse veto e qual a estimativa de economia, Carla?

“Espera-se que as medidas de corte no ministério da Agricultura passem por suspensão de novas contratações para soluções de informática, aquisição e locação de veículos, locação de máquinas e equipamentos de jornais e revistas. Agora, nós temos que observar se serão efetivadas essas medidas. Elas vem em uma tentativa do governo de cumprir a meta fiscal desse ano de déficit primário que é de R$ 139 bilhões.”

Diferente da área central do país que está sob uma massa de ar seco, a região Sul recebe chuvas. E esse panorama colocou Rio Grande do Sul e Santa Catarina em estado de alerta. Situação preocupante para os produtores, Carla?

“Nem tanto, pois nessas regiões precisam de chuva. No Paraná, por exemplo, nós temos o vazio sanitário finalizado, o que aconteceu na terça dia 10, e é preciso que essas chuvas cheguem por lá. No entanto, há um perigo com as precipitações já que , com elas, podem vir ventos intensos que variam de 60 à 100 quilômetros por hora. Isso sim, pode ser bastante perigoso.”

Confirmando os bons resultados mês, o resultado trimestral de abate animais apresentou crescimento. Os dados do IBGE apontam que o crescimento ocorreu tanto na comparação com o primeiro trimestre quanto em relação ao segundo trimestre de 2018. Nos dê mais detalhes sobre esse crescimento, Carla.

“Se observarmos a comparação com 2018, a alta é de mais de 3%. Se compararmos com o trimestre imediatamente anterior, o ganho é de pouco mais de 1%. Se falarmos apenas de porcos, temos 11 milhões de animais abatidos. Os frangos passam de um bilhão de animais. É um momento muito importante de recuperação consistente para o setor de carne brasileiro depois de tantas crises.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. noticiasagricolas.com.br para ser o produtor rural mais bem informado do Brasil."

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE