Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Justiça ouve motorista que deixou médica em estado vegetativo após acidente em Santarém

Audiência de instrução foi realizada nesta segunda-feira 9 no fórum de Santarém. Acidente aconteceu em maio de 2018.

 
 -   /
/ /

A justiça ouviu na manhã desta segunda-feira (9) o motorista que provocou um acidente em maio de 2018 em Santarém, oeste do Pará. Duas pessoas ficaram presas nas ferragens do veículo atingido, incluindo a médica Paula Eloá Carneiro Barra que está em estado vegetativo. A audiência foi realizada no Fórum da comarca local.

A médica Paula Eloá continua internada no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém.

Na ocasião foram ouvidas 9 pessoas, sendo 3 testemunhas de acusação, 5 de defesa e o réu, no caso, o condutor Josinei Pereira, que mora em Itaituba. Ele disse ao G1 e TV Tapajós que estava em Santarém a trabalho e que não conhecia bem as ruas da cidade.

“Eu jamais desejaria fazer o mal a alguma pessoa. Quando isso aconteceu eu fiquei muito ruim, está sendo uma fase muito difícil para mim, pois nunca imaginei me envolver em algo assim. Avancei a preferencial sem perceber, foi algo muito rápido. Nunca me envolvi em nenhuma briga sequer e de repente me envolver em algo para machucar alguém. Eu sinto muito na minha consciência como ser humano, dói muito pela família da médica, pela minha família também”, contou.

O condutor disse ainda que no dia do acidente consumiu bebida alcoólica somente à tarde do dia anterior. Ele disse que fez questão de ficar no local para dar os devidos esclarecimentos.

“Eu estava em sã consciência, tinha bebido somente à tarde, estava bem, lúcido. Foi uma falha, mas eu não me ausentei do local, pedi para chamarem rapidamente a polícia, o socorro. Teve gente lá no local do acidente que chegou a me aconselhar a fugir, mas eu fiquei lá, porque não foi uma coisa que eu fiz por querer”, concluiu.

Josinei Pereira, o réu, foi um dos que foi ouvido pelo juiz da 3ª Vara Criminal nesta segunda-feira (9) — Foto: Tracy Costa/G1 Josinei Pereira, o réu, foi um dos que foi ouvido pelo juiz da 3ª Vara Criminal nesta segunda-feira (9) — Foto: Tracy Costa/G1

Josinei Pereira, o réu, foi um dos que foi ouvido pelo juiz da 3ª Vara Criminal nesta segunda-feira (9) — Foto: Tracy Costa/G1

O agente de trânsito, Raimundo Silva, uma das testemunhas ouvidas, informou que no momento do acidente não foi possível fazer o teste do etilômetro, pois a equipe não possui o aparelho. Contou ainda que o condutor do veículo foi conduzido para a delegacia de Polícia Civil.

“Esse acidente aconteceu por volta das 2h da manhã quando fomos acionados para atender a ocorrência. Quando chegamos lá, já se encontrava Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Samu para fazer o resgate das duas vítimas que estavam presas nas ferragens. A moça estava muito machucada”, disse.

O condutor Josinei Pereira foi denunciado pelo Ministério Público por crime de tentativa de homicídio doloso. Após a audiência de instrução, caberá ao juiz Gabriel Veloso decidir se o caso irá para o tribunal do júri popular ou se o crime será desclassificado para lesão corporal grave.

"Ao final das oitivas, eu vou decidir se estão presentes ou não os elementos do dolo eventual cumprindo aquilo que determina o Código Penal. Se presentes, o acusado será pronunciado, após a conclusão, não cabendo mais recursos, se mantida essa decisão, ele vai para o plenário; por outro lado, se não provado os requisitos legais, ocorre a desclassificação para lesão culposa, e imediatamente, ele é remetido para a 1ª ou 2ª vara criminal", disse o juiz.

A decisão deve ser proferida ainda nesta segunda-feira.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE