Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Ventos de 93 km/h atingem costa dos EUA antes da chegada do furacão Dorian

Depois de deixar as Bahamas devastadas, furacão deverá chegar ao continente no estado norte-americano da Carolina do Sul.

 
 -   /
/ /

O furacão Dorian foi reclassificado como categoria 3, de um máximo de 5, antes de atingir a costa dos Estados Unidos. O estado da Carolina do Sul se prepara para a chegada do maior furacão que já viu, com ondas alcançando até 2 metros na praia de Myrtle, que é um destino turístico popular.

  • Veja locais nas Bahamas antes e depois da destruição causada pelo furacão Dorian

Pela manhã da quinta-feira (5), ventos de 93 quilômetros por hora atingiram a costa.

A chuva também será substancial, de acordo com o serviço nacional de furacões (NHC, na sigla em inglês).

Os avisos do NHC cobrem partes da costa da Georgia, da Carolina do Sul e da Carolina do Norte.

Mais de 2,2 milhões de pessoas receberam ordem para sair de casa –parte delas, na Flórida, que não vai ser impactada diretamente.

No fim da quarta (4), o Dorian voltou a ser considerado um furacão de categoria 3.

Mais de 20 mortos nas Bahamas

O Furacão Dorian deixou marcas nas Bahamas como se ela tivesse sido bombardeada e retoma força enquanto se dirige para a costa atlântica dos EUA, possivelmente atingindo o continente nesta quinta (5) na Carolina do Sul.

Imagem das Bahamas após a passagem do furacão Dorian, em setembro de 2019 — Foto: Dante Carrer/Reuters Imagem das Bahamas após a passagem do furacão Dorian, em setembro de 2019 — Foto: Dante Carrer/Reuters

Imagem das Bahamas após a passagem do furacão Dorian, em setembro de 2019 — Foto: Dante Carrer/Reuters

A ONU afirma que 70 mil pessoas nas Bahamas precisam de ajuda humanitária imediatamente, depois que o furacão mais severo atingiu a nação.

A empresa norueguesa Equinor, que tem operações de óleo e gás na região, afirmou que descobriu um vazamento no solo ao lado de tanques em seu terminal nas Bahamas, mas qu não é claro qual é o volume e não notou óleo no mar.

Imagens aéreas das ilhas Abado, as mais atingidas, no norte das Bahamas, mostram devastação por toda a região, em portos, lojas, escritórios, um hospital, aeroporto etc.

Ao menos 20 pessoas morreram nas Bahamas. As autoridades esperam que o número aumente, de acordo com o primeiro-ministro Hubert Minnis.

Muitas áreas estão sem telefones. Os residentes postaram listas de pessoas desaparecidas em redes sociais.

O Dorian chegou a matar uma pessoa em Porto Rico antes de se direcionar para as Bahamas.

Países auxiliam as Bahamas

Ajuda internacional está a caminho das Bahamas. Será enviado um navio da marinha britânica, e a Jamaica vai ajudar com 150 militares.

Também foram emprestadas balsas e pequenos barcos.

O primeiro-ministro Minnis incentivou turistas a visitarem a Bahamas, que dependem desse setor da economia.

Os EUA vão enviar suprimentos que foram preparados para a Flórida, de acordo com o presidente Donald Trump.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE