Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Sespa faz chamamento para vacinar contra sarampo as crianças menores de 1 ano de idade, em Santarém

Crianças de 6 meses até 11 meses e 29 dias podem tomar a dose da vacina.

 
 -   /
/ /

Em atendimento à orientação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em conjunto com Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), iniciou, na quinta-feira (22), chamamento para vacinar contra sarampo as crianças menores de 1 ano de idade, em Santarém, oeste do Pará.

A medida é preventiva, pois essa é a faixa etária mais suscetível a casos graves e óbitos em função da doença.

Essa dose de vacina é denominada tecnicamente de "dose zero". Não substitui e nem será considerada válida para o calendário nacional de vacinação da criança. Além da dose que será aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar as crianças para tomar a vacina tríplice viral aos 12 meses (1ª dose) e a vacina tetra viral (ou tríplice viral) mais varicela aos 15 meses (2ª dose), respeitando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.

O calendário vacinal prevê a primeira dose da tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba) aos 12 meses, e a dose de reforço aos 15 meses. Sendo assim, as crianças vacinadas nessa intensificação deverão voltar à unidade de saúde para cumprir o calendário vacinal.

Segundo a coordenadora do setor de imunização da Divisão de Vigilância em Saúde, Edna Gadelha, a intensificação é uma medida preventiva para evitar que o sarampo chegue ao município, considerando o deslocamento de pessoas vindas de estados em que a circulação do vírus do sarampo está ativa, como é o caso de São Paulo.

“Os pais que tenham crianças, de 6 meses até 11 meses e 29 dias, podem procurar os postos de saúde para imunizar com essa vacina, que é considerada extra, assim o calendário normal de vacina deve ser seguido”, frisou.

Casos

De acordo com o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou, nos últimos três meses, 1.680 casos confirmados de sarampo, sendo que 99% dos casos estão em São Paulo. O Pará não tem caso confirmado desde o mês de maio. Até o momento, há registro de 53 casos confirmados da doença, especialmente no oeste do Estado, onde foi realizada campanha de vacinação de 10 de junho a 12 de julho, destinada aos jovens de 15 a 29 anos.

Atualmente, além de doses de vacina para a rotina, o Ministério da Saúde garante aos estados e municípios doses de vacina para ações de bloqueio, destinadas a uso em situação de casos suspeitos, além de doses adicionais para a faixa etária a ser atingida nessa nova medida preventiva.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE