Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Sorriso: ex-candidato a vereador é condenado a pena de 22 anos e 6 meses por matar a ex-mulher a facadas

 

Antônio Cláudio da Silva Santos, o “Irmão Antônio”, como era conhecido foi condenado a cumprir uma pena de 22 anos e 6 meses em regime inicialmente fechado pelo assassinato da ex-convivente Mary Célia Freita Soares Santos, de 37 anos. O crime aconteceu no dia 09/12/2016, na casa da vítima, no Bairro Boa Esperança 2 em Sorriso, enquanto ela dormia.

Antônio Cláudio da Silva Santos, foi candidato a vereador nas eleições municipais. Conforme a PM, Antônio não aceitava a separação e ainda tinha a chave da casa da ex-mulher. Durante a madrugada, o ex-marido entrou na casa, retirou uma faca da cozinha e atacou Mary que dormia na cama, juntamente com os filhos, à época com 1 ano e oito meses, e outro de 11 anos que presenciou a trágica cena.

Ao término do julgamento, a promotora de justiça, Maísa Fidélis afirmou à reportagem que o Ministério Público ficou satisfeito com o resultado e com a pena aplicada. “Muito satisfeito, os jurados acolheram todas as teses da acusação, em 100%, as quatro qualificadoras foram votadas favoravelmente e o réu foi condenado a 22 anos e 6 meses”.

Ela explicou quais foram as qualificadoras apresentadas pela promotoria: “A primeira qualificadora que nós dependemos foi a qualificadora do motivo torpe, ou seja ele matou a vítima por ciúmes. A segunda qualificadora foi o recurso que dificultou a defesa da vítima, uma vez que ela foi morta na cama, dormindo, ao lado de uma criança de 1 ano e 8 meses. A terceira qualificadora foi o meio cruel em que ele causou um sofrimento descomunal à vítima, uma vez atingida por cerca de 27 golpes, principalmente na região do rosto, olhos, a parte do peitoral, o que indica que a vítima sofreu muito antes de morrer e a última qualificadora foi a do feminicídio uma vez que o réu era ex-convivente da vítima e contexto foi de violência doméstica”.

Foi mais uma vitória nesse caso tão importante que vem chamando a atenção, ainda mais próximo Aí aos 13 anos da Lei Maria da Penha. “É mais um caso emblemático. Infelizmente mais um número para constar nas estatísticas de Sorriso, porém o Conselho de Sentença daqui foi muito sensível à causa e deu a resposta esperada”.

Segundo a promotora, a sentença ainda cabe recurso pela defesa “A defesa já sinalizou que vai interpor ainda na data de hoje inclusive a petição de recurso. A juíza condenou o réu e determinou que ele permanecesse encarcerado mesmo tendo o direito de recorrer”.

Os filhos do casal foram acolhidos pelos próprios familiares, a criança, que hoje está com 4 anos está com a tia e o menino que hoje tem 14 anos mora com a avó. A irmã da vítima, Selma Freitas Soares da Silva, contou como foi ficar frente à frente com o assassino da irmã: “Esta é a segunda vez que fiquei de frente com ele após o crime. Aquele ali nunca se arrependeu do que ele fez. Ele é um calculista, frio, mentiroso, desde o princípio ele foi um mentiroso e fez o que fez, porque sempre tinha aquele negócio de fazer coisa errada, abafa o caso. Porque nós nunca batemos de frente com ele, porque ela era maior de idade. Nós os irmãos a gente só conversava com ela. Ele fez isso aí porque ela decidiu que tava cansada de idas e voltas, que ele não sabia o que queria, uma hora tava na igreja, outra hora estava no mundo. Era o ‘Crente Raimundo’, que não sabe o que queria. E ela ficava em casa com as crianças até passando necessidade”.

Selma disse que a família ficou satisfeita com o resultado do júri: “Ficamos satisfeitos sim porque não vai trazer ela de volta. Nós vamos continuar com a dor, com saudade, que é grande muito grande. Mas ficamos satisfeitos pela justiça, graças a Deus é mais uma alívio para gente. Para ele aprender também a respeitar os direitos. Ele saber se ele se acha o ser humano, a minha irmã também era ser humano”.

Acabada, abalado, sentimento profundo. A situação da minha mãe ali envelheceu uns 10 anos. Porque não é fácil a pessoa na idade que ela está criar nove filhos, lutando, batalhando para criar os filhos e no momento perder uma filha na situação que perdeu e ainda ter que criar, que cuidar de crianças. É muito doloroso você acordar de manhã e ver duas crianças sem pai e sem mãe. Chega uma data comemorativa e as duas crianças sem pai e sem mãe, é muito triste. Ver uma criança se perguntando o tempo todo porque ele matou a minha mãe? A gente fica sem resposta, a gente não sabe o que vai dizer.

Lindalva Freitas, mãe da vítima falou como ficou após a morte da filha “Minha vida está acabada, porque foi uma parte do meu corpo. Toda hora eu tava na casa dela, todo dia eu tava na casa dela, de manhã, de tarde e de noite. (...) Quando eu escutei o menino balançar o portão e dizer: Socorre minha mãe, pelo amor de Deus socorre minha mãe, porque o meu pai esfaqueou minha mãe todinha. Todo mundo saiu correndo. Eu fiquei naquele desespero, gritando, chorando e pedindo socorro pensando que ela ainda poderia viver. Quando saíram com ela, eu fiquei me acabando três dias três noites sem dormir, chorando de dia e de noite e ele tá aí vivo e são e a gente sofrendo”.

Ela disse como foi reviver toda situação. “Eu fiquei ruim, fiquei abalada, mas já estou melhor com a graça de Deus, mas recuperei, eu tô melhor, porque eu pedi a meu Deus que era ser feita a vontade de Deus né. A justiça foi feita graças a Deus, confiando em Jesus foi feito né porque meu Deus ele não pague né Ele é um Deus de todos, Ele não falha”.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE