Agroindústria

Agroindústria

Fechar
PUBLICIDADE

Agroindústria

Câmara dos EUA derruba resolução de impeachment contra Trump

Proposta do deputado Al Green teve 332 votos contra e 95 a favor, mas não livra completamente Trump da possibilidade de impeachment. Esta foi a terceira tentativa de Green em aprovar uma resolução do tipo, mas a primeira desde que democratas assumira

 
 -   /
/ /

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos votou nesta quarta-feira (17) para efetivamente derrubar por ora uma resolução de impeachment contra o presidente norte-americano, Donald Trump, mas sem enterrar a questão que tem dividido democratas.

O autor da resolução, o deputado democrata Al Green, buscava capitalizar sobre a crescente crítica contra Trump após os ataques recentes que ele fez a deputadas democratas que pertencem a minorias.

A Câmara votou por 332 votos a 95 para derrubar a medida.

Green já tinha fracassado duas vezes na tentativa de aprovar uma resolução de impeachment, mas a desta quarta marcou a primeira vez que a Câmara tratou dessa questão desde que os democratas assumiram a maioria na Casa, neste ano.

Com a votação, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, teve novamente de arbitrar um conflito entre seus colegas de Partido Democrata, desta vez a discussão sobre a resolução de impeachment contra Trump.

Pelosi há muito tempo tenta evitar que democratas iniciem um processo de impeachment contra Trump, aguardando um resultado de uma investigação do Comitê Judiciário da Câmara sobre se Trump teria conspirado com a Rússia no caso das interferências nas eleições presidenciais de 2016 e cometido obstrução de Justiça na investigação do procurador especial Robert Mueller sobre o assunto.

Perguntada por jornalistas no Capitólio na manhã de quarta-feira se ela apoiava a resolução de Green, Pelosi disse: "Não, eu não apoio... Minha posição te surpreende?".

James Clyburn, o Democrata número 3 da Câmara e um importante aliado de Pelosi, disse que preferia que a resolução fosse engavetada. "Eu não acho que estamos prontos para debater isso no momento", disse.

Clyburn acrescentou que parte do motivo para isso era que Mueller deve depor ao Congresso na semana que vem.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE