Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Após denúncia, assassino confesso de mototaxista de Oriximiná é preso no estado do Amazonas

Wilkson Melo Souza era foragido da penitenciária de Santarém desde fevereiro deste ano.

 
 -   /
/ /

Foi preso na tarde de sexta-feira (12), em Manaus, Amazonas, o assassino confesso do mototaxista Carlos Alberto Pimenta Corrêa (Bill). O crime aconteceu dia 4 de julho, em Oriximiná, oeste do Pará. O mandado de prisão por homicídio qualificado contra Wilkson Melo Souza (Pitico) foi cumprido pelo delegado William Fonseca, de Oriximiná, com apoio da Rocam de Manaus.

Uma denúncia anônima levou à polícia ao endereço onde Pitico estava escondido, em um sítio no Novo Cananã, km 171, em Manaus. Segundo delegado Fonseca, ao perceber a chegada da polícia, o suspeito tentou fugir pelos quintais de residências próximas, mas foi alcançado pelos policiais.

Em depoimento à polícia, após a prisão em Manaus, Pitico confessou que agiu sozinho para matar o mototaxista e que o crime foi motivado por vingança. "Eu matei o Bill porque ele me caguetou. Eu fui parar no presídio porque ele me entregou para a polícia", declarou.

Pitico já é conhecido da polícia e estava foragido do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura, de Santarém, desde fevereiro deste ano. Ele responde pelo crime de tráfico de drogas e havia sido preso pela Polícia Rodoviária Federal de Santarém, quando transportava dentro de um ônibus intermunicipal da linha Santarém-Belém, mais de 17kg de entorpecente do tipo Oxi. Ele também tem passagens na polícia por tráfico de drogas no estado do Amazonas.

Sobre a fuga de Pitico para Manaus, delegado Fonseca lembrou que não é a primeira que pessoas que cometem crimes em cidades do oeste do Pará tentam escapar da polícia fugindo para o vizinho estado do Amazonas, mas que o trabalho investigativo e a troca de informações entre as polícias do Pará e Amazonas têm localizado os criminosos.

"O recado que fica é que não importa onde você vai se esconder após cometer um crime, porque a polícia vai investigar, vai diligenciar e vai prender. Eu agradeço o trabalho da polícia do Pará e o apoio da polícia do Amaonas, que foram fundamentais para que nós lográssemos êxito nessa operação que resultou na prisão do acusado do homicídio do mototaxista Bill", destacou delegado Fonseca.

Delegado da Polícia Civil de Oriximiná, William Fonseca — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal Delegado da Polícia Civil de Oriximiná, William Fonseca — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

Delegado da Polícia Civil de Oriximiná, William Fonseca — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

Investigações

O assassinato de Carlos Alberto (Bill) aconteceu no Ramal do Jatuaraninha. A identidade do principal suspeito foi descoberta pela Polícia Civil de Oriximiná 48 horas após o crime. Durante as investigações, a polícia souber que a vítima estava vendendo um terreno pelo valor de R$1.200,00, no Jatuaraninha. E na manhã do dia 4 de julho, foi buscar de moto um rapaz, próximo à travessa da Granja, para mostrar a ele o terreno.

"Antes de ir para o Jatuaraninha, o Bill parou em um posto para abastecer. Nós tivemos acesso a imagens do circuito de segurança do posto que mostravam Bill e o passageiro no dia do crime. Encontramos a mãe do Wilkson (Pitico) que ao ver as imagens, reconheceu de forma cabal que se tratava do filho dela na garupa da moto", contou delegado Fonseca.

Bill foi assassinado com objeto perfurocortante e à traição. Grande parte das perfurações, no corpo da vítima, foram nas costas, nuca, cintura e pescoço, o que levou a polícia a deduzir que Pitico aproveitou sua posição vantajosa em relação a vítima, uma vez que estava na garupa da motocicleta de Bill, impossibilitando a defesa da vítima.

*Colaborou Márcio Garcia, de Oriximiná

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE