Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

USP

Momento Cidade 05: Como é possível produzir alimentos na cidade?

Para especialistas, investir em agricultura urbana melhoraria a alimentação e reduziria a poluição, já que com alimentos sendo produzidos mais próximos dos consumidores a logística de transporte e do consumo de combustíveis mudaria drasticamente

 

Momento Cidade #05: Como é possível produzir alimentos na cidade?
Momento Cidade - USP

    00:00 / 9:48   1X  
// @todo move this to a separate enqueued file and use data attributes document.addEventListener("DOMContentLoaded", function () { (function ($) { var sspUpdateDuration1; // Create Player window.ssp_player1 = WaveSurfer.create({ container: '#waveform1', waveColor: '#444', progressColor: '#00d4f7', barWidth: 3, barHeight: 15, height: 8, hideScrollbar: true, skipLength: 30, backend: 'MediaElement' }); //Set player track window.ssp_player1.track = 'https://jornal.usp.br/podcast-player/257393/momento-cidade-05-como-e-possivel-produzir-alimentos-na-cidade.mp3'; /** * Setting and drawing the peaks seems to be required for the 'load on play' functionality to work */ //Set peaks window.ssp_player1.backend.peaks = [0.0218, 0.0183, 0.0165, 0.0198, 0.2137, 0.2888, 0.2313, 0.15, 0.2542, 0.2538, 0.2358, 0.1195, 0.1591, 0.2599, 0.2742, 0.1447, 0.2328, 0.1878, 0.1988, 0.1645, 0.1218, 0.2005, 0.2828, 0.2051, 0.1664, 0.1181, 0.1621, 0.2966, 0.189, 0.246, 0.2445, 0.1621, 0.1618, 0.189, 0.2354, 0.1561, 0.1638, 0.2799, 0.0923, 0.1659, 0.1675, 0.1268, 0.0984, 0.0997, 0.1248, 0.1495, 0.1431, 0.1236, 0.1755, 0.1183, 0.1349, 0.1018, 0.1109, 0.1833, 0.1813, 0.1422, 0.0961, 0.1191, 0.0791, 0.0631, 0.0315, 0.0157, 0.0166, 0.0108]; //Draw peaks window.ssp_player1.drawBuffer(); //Variable to check if the track is loaded window.ssp_player1.loaded = false; // @todo Track Player errors // On Media Ready window.ssp_player1.on('ready', function (e) { if (!window.ssp_player1.loaded) { window.ssp_player1.loaded = true; window.ssp_player1.play(); } $('#ssp_player_id_1 #sspTotalDuration').text(window.ssp_player1.getDuration().toString().toFormattedDuration()); $('#ssp_player_id_1 #sspPlayedDuration').text(window.ssp_player1.getCurrentTime().toString().toFormattedDuration()); }); // On Media Played window.ssp_player1.on('play', function (e) { if (!window.ssp_player1.loaded) { window.ssp_player1.load(window.ssp_player1.track, window.ssp_player1.backend.peaks); } // @todo Track Podcast Specific Play $('#ssp_player_id_1 #ssp-play-pause .ssp-icon').removeClass().addClass('ssp-icon ssp-icon-pause_icon'); $('#ssp_player_id_1 #sspPlayedDuration').text(window.ssp_player1.getCurrentTime().toString().toFormattedDuration()) sspUpdateDuration1 = setInterval(function () { $('#ssp_player_id_1 #sspPlayedDuration').text(window.ssp_player1.getCurrentTime().toString().toFormattedDuration()); }, 100); }); // On Media Paused window.ssp_player1.on('pause', function (e) { // @todo Track Podcast Specific Pause $('#ssp_player_id_1 #ssp-play-pause .ssp-icon').removeClass().addClass('ssp-icon ssp-icon-play_icon'); clearInterval(sspUpdateDuration1 ); }); // On Media Finished window.ssp_player1.on('finish', function (e) { $('#ssp_player_id_1 #ssp-play-pause .ssp-icon').removeClass().addClass('ssp-icon ssp-icon-play_icon'); // @todo Track Podcast Specific Finish }); $('#ssp_player_id_1 #ssp-play-pause').on( 'click', function(e){ window.ssp_player1.playPause(); }); $('#ssp_player_id_1 #ssp-back-thirty').on('click', function (e) { // @todo Track Podcast Specific Back 30 window.ssp_player1.skipBackward(); }); $('#ssp_player_id_1 #ssp_playback_speed1').on('click', function (e) { switch ($(e.currentTarget).parent().find('[data-ssp-playback-rate]').attr('data-ssp-playback-rate')) { case "1": $( e.currentTarget ).parent().find( '[data-ssp-playback-rate]' ).attr( 'data-ssp-playback-rate', '1.5' ); $( e.currentTarget ).parent().find( '[data-ssp-playback-rate]' ).text('1.5X' ); window.ssp_player1.setPlaybackRate(1.5); break; case "1.5": $( e.currentTarget ).parent().find( '[data-ssp-playback-rate]' ).attr( 'data-ssp-playback-rate', '2' ); $( e.currentTarget ).parent().find( '[data-ssp-playback-rate]' ).text('2X' ); window.ssp_player1.setPlaybackRate(2); break; case "2": $( e.currentTarget ).parent().find( '[data-ssp-playback-rate]' ).attr( 'data-ssp-playback-rate', '1' ); $( e.currentTarget ).parent().find( '[data-ssp-playback-rate]' ).text('1X' ); window.ssp_player1.setPlaybackRate(1); default: break; } } ); }(jQuery)) } );
Download file | Play in new window | Duration: 9:48

As primeiras cidades surgiram, entre outros motivos, por causa da produção de alimentos. Foi o excedente dessa produção que deu origem às grandes civilizações antigas. Entretanto, conforme as cidades foram se modernizando, a agricultura passou a se afastar cada vez mais dos grandes centros urbanos. 

Para entender como isso afeta as grandes cidades ainda hoje, e como a produção local de alimentos pode melhorar a vida urbana, o Momento Cidade reuniu especialistas para responder à pergunta: Como é possível produzir alimentos na cidade?

Conforme explica André Biazoti, formado em Gestão Ambiental pela USP em Piracicaba e pesquisador na área, a “agricultura urbana é um conceito multidimensional que envolve diversas realidades, diversas práticas, diversas formas de se conceber uma agricultura dentro de um espaço urbano”. 

De acordo com Biazoti, atualmente a produção que pode ser feita nas áreas da cidade é bem diversa, indo desde a produção alimentar e a produção animal até a produção de flores, de plantas ornamentais ou mesmo de madeira.

Para Gustavo Nagib, doutorando da pós-graduação em Geografia Humana da USP e autor do livro Agricultura Urbana como Ativismo na Cidade de São Paulo, publicado em 2018 pela Annablume Editora, é preciso diferenciar os diferentes tipos de agricultura que existem na cidade.

“Existe a agricultura que é voltada para a produção, geração de renda, abastecimento e a agricultura que é voltada para a socialização, a pedagogia, no sentido da sensibilização da educação ambiental na cidade, da reocupação dos espaços públicos da cidade; a produção agrícola é importante como ferramenta de socialização e reocupação do espaço público”, esclarece Nagib. 

Para ambos os especialistas, é crucial que instituições como as universidades pesquisem o assunto e entendam o impacto da agricultura urbana nas grandes cidades.

Já para Thais Mauad, professora da Faculdade de Medicina (FM) da USP e coordenadora do Grupo de Estudos de Agricultura Urbana do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, investir em agricultura urbana traria diversas vantagens para a população que vão desde a melhoria na alimentação até a redução da poluição, já que com alimentos sendo produzidos mais próximos dos consumidores a logística de transporte e, consequentemente, o consumo de combustíveis, mudariam drasticamente.

Para ela, a Prefeitura pode ajudar a incentivar os trabalhadores que já produzem na cidade. “Um dos problemas que essas pessoas têm é falta de apoio técnico, e a Prefeitura tem poucos agrônomos. Outra coisa, por exemplo, é que a Prefeitura pode disponibilizar terrenos (para plantio)”, explica a docente. 

Dentre as inúmeras vantagens de se incentivar a produção local de alimentos, os pesquisadores destacam que um maior número de áreas verdes nas cidades ajudaria no controle do aumento da temperatura, da umidade e resultaria também na melhora da qualidade do ar.

Ouça o podcast na íntegra no player acima. Siga no Spotify, no Apple Podcasts ou seu aplicativo de podcast favorito.

Ficha técnica

Reportagem: Denis Pacheco
Edição: Rafael Simões, Beatriz Juska e Paulo Calderaro

jQuery(document).ready(function($) { $.post('https://jornal.usp.br/wp-admin/admin-ajax.php', {action: 'wpt_view_count', id: '257393'}); });

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE