Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Novo '''MIB: Homens de Preto''' não repete magia do 1º filme mesmo com atores carismáticos; G1 já viu

Recomeço da franquia nos cinemas coloca Chris Hemsworth e Tessa Thompson no papel de agentes que combatem ameaças alienígenas.

 
 -   /
/ /

A comparação entre "MIB: Homens de Preto - Internacional" e o primeiro filme de 1997 é inevitável – e extremamente desfavorável para a produção que estreia nesta quinta-feira (13) no Brasil com a missão de reiniciar franquia nos cinemas.

Mesmo com uma nova dupla de protagonistas extremamente carismáticos, o quarto capítulo da série (que funciona como uma espécie de continuação indireta da trilogia inicial) não consegue repetir o encanto daquele que deu início a tudo.

Não que seja uma experiência desagradável. "Internacional" expande o universo da agência que monitora ameaças alienígenas e tem vários elementos interessantes. Mas, no fim, evidencia o fator principal pelo sucesso do primeiro filme. A sensação de descoberta, tão grande naquela época, não existe mais.

Assista ao trailer de 'MIB: Homens de Preto – Internacional

Assista ao trailer de 'MIB: Homens de Preto – Internacional'

MIB: Ragnarok

No lugar de Will Smith e Tommy Lee Jones entram Chris Hemsworth e Tessa Thompson, que repetem a parceria bem-sucedida de "Thor: Ragnarok" (2017). No lugar de deuses nórdicos, a dupla assume o papel de dois agentes da filial de Londres dos Homens de Preto.

A fórmula é a mesma dos anteriores. Através de uma parceria recém-formada, eles devem encontrar um mecanismo misterioso para impedir uma ameaça interplanetária, ao mesmo tempo em que desconfiam de um possível traidor na organização.

Não era uma substituição fácil, mas que se sai bem principalmente por não tentar uma troca exata. Não é como se um fosse o veterano rabugento e a outra a novata engraçadinha. Os atores mostram mais uma vez sua excelente química e são a maior qualidade da produção.

Já os personagens mostram seus próprios méritos, mesmo que não sejam dos mais complexos, e sua evolução e crescimento ao longo da narrativa também é uma novidade das mais bem-vindas – nada contra o fato de o K da trilogia começar como Tommy Lee Jones e permanecer Tommy Lee Jones por três filmes. Se você tem Tommy Lee Jones você deve deixar Tommy Lee Jones ser Tommy Lee Jones. Mas este não é o caso.

Tessa Thompson e Chris Hemsworth em cena de 'MIB: Homens de Preto - Internacional' — Foto: Divulgação Tessa Thompson e Chris Hemsworth em cena de 'MIB: Homens de Preto - Internacional' — Foto: Divulgação

Tessa Thompson e Chris Hemsworth em cena de 'MIB: Homens de Preto - Internacional' — Foto: Divulgação

Um novo mundo (que você já conhece)

Através da novata agente M, "Internacional" tenta reproduzir a sensação de novidade e encantamento vivenciados por J – e pelo público – há mais de 20 anos diante de todo um mundo repleto de alienígenas e ternos pretos.

Infelizmente, isso pode ser novidade para ela, mas não é para quem assiste. Depois das duas continuações, muito inferiores ao original, e de todas as demais produções com ETs, armas esquisitas e explosões gosmentas lançadas desde então, fica difícil repetir a empolgação.

Em 1997, "MIB" foi algo revolucionário. Trocentos filmes depois, inspirados exatamente por ele, nem tanto.

Tessa Thompson e Liam Neeson em cena de 'MIB: Homens de Preto - Internacional' — Foto: Divulgação Tessa Thompson e Liam Neeson em cena de 'MIB: Homens de Preto - Internacional' — Foto: Divulgação

Tessa Thompson e Liam Neeson em cena de 'MIB: Homens de Preto - Internacional' — Foto: Divulgação


Quer comprar um apartamento num dos centros de Goiânia?

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE