Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Hospital Regional de Marabá estimula diálogo com a liderança para ampliar a segurança do paciente

 
 -   / Ascom/HRSP
/ Ascom/HRSP / Ascom/HRSP

A partir desta semana, uma vez por mês, os diretores do Hospital Regional do Sudeste do Pará - Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA), se reunirão com os profissionais da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto para discutir práticas que possam ampliar a segurança do paciente e a qualidade do atendimento na Instituição.

Denominada "Ronda de Alta Gestão", a iniciativa foi criada pelo Institute for Healthcare Improvement, organização americana de qualidade da assistência, e faz parte das ações implantadas na Unidade a partir do projeto "Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil", promovido pelo Ministério da Saúde. No Pará, somente dois hospitais públicos participam do projeto: o Hospital Regional de Marabá e o Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, ambos gerenciados pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.

De acordo com a diretora Assistencial do HRSP, Maria do Carmo da Silva Freitas, a participação da alta liderança na detecção de entraves na assistência ao paciente contribuirá para o empoderamento da equipe e impactará positivamente nos resultados do projeto. "Hoje reunimos com os colaboradores da ponta, que são os técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos responsáveis pelo atendimento na Unidade. Quando eles percebem o envolvimento da alta gestão no projeto, a equipe se torna mais participativa, uma vez que todos passam a ter a mesma linguagem e o mesmo objetivo", explica a enfermeira. 

É o que confirma a técnica de Enfermagem da UTI Adulto, Deborah de Souza Silva, que participou da primeira ronda, realizada nesta terça-feira, 23 de abril. "O bate-papo foi muito transparente. Conversamos sobre as dificuldades vivenciadas pela equipe e como podemos solucioná-las. Essa escuta também valoriza a opinião da equipe, nos sentimos úteis, mostrando que não estamos aqui apenas para executar o cuidado, mas para pensar junto a melhor forma de fazê-lo", afirmou a colaboradora que há oito anos atua no Hospital Regional de Marabá.

Projeto colaborativo

Realizado com o apoio do Institute for Healthcare Improvement, o projeto "Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil" tem o objetivo de, até 2020, reduzir em 50% os casos de Infecções Relacionadas à Assistência em Saúde (IRAS) nas Unidades de Terapia Intensiva dos hospitais participantes, utilizando as métricas já adotadas pelos Hospitais de Excelência no Brasil. São eles: Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital Beneficência Portuguesa (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e o Hospital Moinhos de Vento (RS).

Ao longo do projeto, que tem duração de três anos, o Hospital Regional de Marabá é acompanhado pelo Hospital Moinhos de Vento. Desde então várias práticas têm sido implantadas pela equipe para melhorar a qualidade da assistência prestada aos pacientes da UTI e, consequentemente, reduzir os custos da internação.

Duas delas ajudaram a zerar a incidência de Infecção Primária de Corrente Sanguínea associada ao uso de cateter venoso central em pacientes da UTI no primeiro trimestre de 2019. A primeira delas foi o reforço à importância da higienização das mãos e da desinfecção dos conectores do cateter. A segunda prática adotada foi o uso de uma cobertura plástica sobre o cateter no momento do banho do paciente, evitando que entre sujeira no dispositivo ou que seja molhado durante o cuidado.

A experiência é um das práticas que concorrem ao concurso #euprevinoinfecção, organizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para escolher uma instituição que participará gratuitamente do evento em comemoração aos 20 anos de controle de infecções na Agência.

Sobre a Unidade

O HRSP tem 115 leitos, sendo 77 de Unidades de Internação e 38 de Unidades de Terapia Intensiva. Possui perfil cirúrgico e habilitação em Traumato-ortopedia pelo Ministério da Saúde, oferecendo atendimento gratuito nas especialidades de Cardiologia, Cirurgia Buco-maxilo-facial,Cirurgia Plástica Reparadora, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Fisioterapia, Infectologia, Medicina Intensiva adulto, pediátrica e neonatal, Nutrição, Obstetrícia de Alto Risco, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Urologia, Neurocirurgia, Terapia Ocupacional, Traumato-ortopedia, Nefrologia e Anestesiologia.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de onze Estados brasileiros - a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativo, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE