Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Comunidade quilombola celebra a vida e a fartura na tradicional Festa da Ramada

Mastro, danças e alimentos tradicionais do quilombo não podem faltar nos três dias de festa.

 
 -   /
/ /

O fim de semana foi de celebração da vida e da fartura na tradicional Festa da Ramada realizada pela comunidade quilombola Boa Vista do Cuminã, localizada às margens do rio Erepecuru, em Oriximiná, oeste do Pará.

Segundo o professor e historiador José Felipe Lobato, antigamente como não existia salões de festas, o povo quilombola se reunia para construir o barracão da festa, e tudo era feito seguindo um ritual próprio, na retirada da palha e da madeira que seriam usadas na construção.

Nos dias atuais, a festa é realizada no barracão da comunidade. Pela manhã, os comunitários realizam as ladainhas. Os quilombolas vindos de vários locais se reúnem para o café da manhã compartilhado, já que todos contribuem com os alimentos que produzem em suas comunidades.

Jovens da comunidade quilombola apresentam danças durante a Festa da Ramada — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal Jovens da comunidade quilombola apresentam danças durante a Festa da Ramada — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

Jovens da comunidade quilombola apresentam danças durante a Festa da Ramada — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

À tarde, um dos rituais mais importante da festa é a preparação para a derrubada do mastro. As crianças participam do ritual para que entendam o seu significado e não deixem a tradição se perder pelo tempo.

“Quando o mastro é derrubado, ele é levado para dentro do barracão e as frutas representam um pedido para que no próximo ano a produção deles seja melhor ainda. Os alimentos são distribuídos cacau feito de castanha e de cupuaçu, beju, manicuera, festa com lamparina, de um lado as mulheres e de outro só os homens, e a festa só pode começar depois que o mestre-sala autoriza, as meninas não podem recusar uma dança. Nesse contexto dançam xote, lundu e desfeiteira”, contou João Felipe.

Músicas tradicionais das comunidades quilombolas dão o ritmo da Festa da Ramada — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal Músicas tradicionais das comunidades quilombolas dão o ritmo da Festa da Ramada — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

Músicas tradicionais das comunidades quilombolas dão o ritmo da Festa da Ramada — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

A bebida mais consumida pelos quilombolas durante a festa é a manicuera, feita da mandioca com mistura da banana branca, que adocica o caldo e dá textura. “É uma bebida que os nossos ancestrais faziam para servir nos três dias de festa. E nós continuamos a tradição fazendo e servido a manicuera”, contou uma das coordenadoras da festa, Irene Pantoja.

A festa da Ramada é prestigiada por muitas autoridades, entre elas o prefeito Antônio Tavares, conhecido como Ludugero. “Tem quatro anos que eu participo dessa festa cultural bonita, porque a cultura de um povo tem que ser preservada. Pra mim é uma satisfação estar em Boa Vista do Cuminã participando desse movimento cultural. Eu gosto de estar onde o povo está”, declarou Ludugero.

*Colaborou Márcio Garcia, de Oriximiná

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE