Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Professor universitário estava dentro da Notre-Dame quando sirene tocou e catedral foi esvaziada: '''Muita correria'''

Professor da Unesp de Bauru SP André Luiz Malvezzi estava com a família dentro da Catedral no momento do incêndio. Ele conta que houve aviso em vários idiomas para o prédio ser esvaziado.

 
 -   /
/ /

O professor da Unesp de Bauru (SP) André Luiz Malvezzi, de 53 anos, conta que estava com a família participando da missa dentro da Catedral de Notre-Dame, em Paris, quando precisou sair do prédio depois que a sirene de incêndio tocou. Ele e a esposa, que são de Bauru (SP), estão em Paris passando as férias com a filha e sogra.

"Começou a tocar uma sirene e um aviso em inglês, francês e outros idiomas pedindo para manter a calma e para sair da igreja. Saímos em filas e não teve correria até então. Fiquei calmo. Quando eu saí, talvez já tivesse fogo em cima porque a igreja é muito grande", afirma.

Professor registra fogo após deixar Catedral em Paris — Foto: Arquivo Pessoal/André Luiz Malvezzi Professor registra fogo após deixar Catedral em Paris — Foto: Arquivo Pessoal/André Luiz Malvezzi

Professor registra fogo após deixar Catedral em Paris — Foto: Arquivo Pessoal/André Luiz Malvezzi

André relata ainda que, após sair da Catedral, ficou próximo de um quartel de polícia para saber o que estava acontecendo.

"Fiquei curioso. Estava chegando um monte de polícia e bombeiro. Foi uns 15 minutos, nem isso, entre eu sair da igreja e começar a ver o fogo. Aí ficou um monte de gente, barulho terrível de sirene, muita correria e aglomeração porque do mundo queria ver. Já estava a umas três quadras, quando vi a catedral pegando fogo pela lateral. Um fogo alto, difícil de apagar", afirma.

Professor universitário estava dentro da Notre-Dame quando sirene tocou

Professor universitário estava dentro da Notre-Dame quando sirene tocou

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE