Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Lucas Guimarães lança 34;Valente 34;, segundo disco da carreira

''Valente'' será lançado nesta sexta-feira, 12..

 

Homem do Norte, Lucas Guimarães faz do seu segundo disco uma profusão: batuques caboclos, baião, carimbó, maculelê. Poesia que versa sobre questões íntimas e políticas do existir. Com dez canções autorais, o músico lança o novo trabalho nesta sexta-feira (12), em todas as plataformas digitais.

Natural de Abaetetuba, Lucas foi atrás da sina de viver de arte. Mudou-se para Belém, onde lançou o primeiro álbum “Caliandares” (2015). O segundo disco é fruto de um processo iniciado ainda em 2017, quando Lucas começou a mostrar as canções do disco. Depois de circular com o show, formatou o novo trabalho no estúdio a partir de toda troca experimentada junto ao público. “Valente” foi concebido e gravado em Belém, com os músicos Isma Rodrigues (percussão) e Ney Andrade (baixo). A produção musical é de Renato Torres.

“O disco é punhado de canções em inteireza e prontidão de combate. Um combate lírico, sim, de ideias e lógicas peculiares, porque formadas por um coração que não foi abatido pelas soluções fáceis do parque-de-diversões indie: suas canções evocam o sangue da tribo, a terra preta da taba, o couro esticado dos batuques, mas sem traços ufanistas”, diz Renato, cantor e compositor.

A valentia está na pulsão pelo novo. O trabalho marca mais uma virada na trajetória de Lucas, o andarilho. Agora em São Paulo, o homem do interior da Amazônia experimenta a vida na maior cidade do país. A capa do disco traz essa metáfora da inquietude: a Paxiúba, árvore que aparece na capa do disco. Ela é uma das poucas capazes de “caminhar”. Suas raízes são aéreas e ficam para fora da terra, assim ela se desfaz de uma raiz e nasce n’outra mais a frente, tornando possível o deslocamento.

Os traços da ilustração de Paxiúba são criação do músico e artista plástico paulista Kiko Dinucci- uma das maiores referências estéticas deste novo trabalho. “Kiko é um dos caras mais inventivos das últimas gerações. Conheci o trabalho dele quando ouvi o primeiro disco do Metá Metá, e fiquei espantado. O violão soava meio Baden, mas mais agressivo, era um nylon mas com arranjos que pareciam mais de guitarra. Aquilo mudou minha vida. A partir de então, descobri uma música mais ‘torta’, uma estranheza que muito me agrada”, conta Lucas.

Serviço

Lucas Guimarães lança o disco “Valente”, dia 12 de abril, em todas as plataformas digitais. Confira no site: lucasguimaraesmusic.com

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE