Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Procura por balsas aumenta após queda de ponte no Pará; governo anuncia medidas para atender demanda

Governador Helder Barbalho assinou o decreto de situação de emergência, publicado extraordinariamente no domingo 7 , para dar celeridade aos trâmites legais das ações do governo.

 
 -   / - G1  / FolhaPA
/ - G1 / FolhaPA / - G1 / FolhaPA

Com a queda da ponte sobre o rio Moju, no quilômetro 48 da rodovia estadual PA-483, a procura da população pelo transporte hidroviário aumentou. O impacto já é sentido nesta segunda-feira (8). A ponte que desabou faz parte do complexo Alça Viária, estratégica por fazer a ligação entre a região metropolitana de Belém e a região nordeste do estado.

Parte da ponte caiu na madrugada de sábado (6). Uma balsa que transportava irregularmente rejeitos de dendê colidiu contra um dos pilares de sustentação da ponte e causou o desabamento de cerca de 200 metros da estrutura, que possuía 860 metros de comprimento e 23 de altura. Com a batida, quatro pilares caíram.

Na noite de sábado (6), o governador Helder Barbalho assinou o decreto de situação de emergência, publicado extraordinariamente no domingo (7), para dar celeridade aos trâmites legais das ações do governo.

Diante do comprometimento da rodovia por tempo indeterminado e da procura por embarcações nos portos de Belém e da região, o Governo do Estado anunciou medidas para atender a população.

Após desabamento de ponte, área é interditada e motoristas usam desvio

Após desabamento de ponte, área é interditada e motoristas usam desvio

Mais embarcações para travessias

A partir desta segunda-feira (8), o transporte hidroviário terá mais embarcações para os municípios de Cametá e Moju, diretamente impactados pelo acidente. O governo estimula a utilização de barcos para o deslocamento de pessoas, ao invés de veículos.

Os portos do Arapari em Belém e Barcarena, em que balsas chegam e saem da capital, estão em funcionamento 24 horas. Saindo de Barcarena, o Porto do Arapari fica na final da PA-481, com acesso às balsas pela rotatória próxima do Hotel Akira e do Posto da Petrobrás. Já saindo de Belém, o embarque está ocorrendo no Porto da Henvil, na avenida Bernardo Sayão, próximo ao prédio da antiga CTBel e Porto da Celte, na av. Bernardo Sayão, entre a tv. Padre Eutíquio e a av. José Bonifácio.

Empresas que atuam nos municípios de Abaetetuba, Limoeiro do Ajuru, Barcarena, Tucuruí e Baião também foram autorizadas pelo governo do estado a utilizarem novos barcos ou navios para aumentar a possibilidade de transporte nesses municípios.

Acidente prejudica deslocamento pelo nordeste do Pará

Acidente prejudica deslocamento pelo nordeste do Pará

Obras nos portos

Está prevista para esta segunda-feira (8) o início nas obras nos pátios dos portos Arapari, em Barcarena, e Bannach, localizado no bairro do Guamá, em Belém. Outro espaço está sendo analisado para funcionar como mais uma alternativa de saída de Belém.

Para garantir o fluxo das embarcações que chegam e saem de Barcarena, foi aumentado o número de embarcações de dois para oito. Além das duas rampas já existentes no porto do Arapari, será construída uma terceira. O trabalho deve ser iniciado também nesta segunda-feira.

Com o aumento da circulação de veículos na avenida Bernardo Sayão, agentes do Batalhão Águia da Polícia Militar reforçam a segurança na área, com duas viaturas e cinco motocicletas em Belém. Do lado de Barcarena, a corporação conta com duas viaturas e nove motocicletas.

Também devido ao aumento do tráfego na via, devem ser realizadas obras emergenciais de pavimentação e adequação de ruas na área portuária das avenidas José Bonifácio, Roberto Camelier, Augusto Corrêa e da tv. Padre Eutíquio.

Vias alternativas

A estrada Perna Sul e estrada Quilombola são possibilidades de escoamento do tráfego, assim como a rodovia PA-252. Segundo o Governo do Estado, ambas passam por ações para receber o fluxo mais intenso. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) estará na entrada e saída de ambas, juntamente com a Secretaria de Estado de Transportes (Setran) para controlar o fluxo e evitar que ocorra saturação nessas vicinais.

De acordo com o Departamento de Trânsito do Pará (Detran), todas essas estradas - tanto nas entradas, quanto nas saídas - foram sinalizadas com placas, assim como no porto do Arapari e no município de Marituba.

Governo anuncia medidas para diminuir transtornos após queda de ponte da Alça Viária

Governo anuncia medidas para diminuir transtornos após queda de ponte da Alça Viária

Rampas

Sobre a construção de rampas nos dois lados onde ficava a ponte no rio Moju, o governo do estado informou que estuda a melhor forma de implementar as estruturas, para que haja o mínimo impacto ambiental. As empresas responsáveis pelas ações deram o prazo de 90 dias para realizar o serviço. As balsas que forem operar nessa área serão subsidiadas pelo estado.

“Estamos agora contando com o apoio do Departamento Nacional de Trânsito (Dnit) e o Exército, cujos representantes vieram para somar, trocando ideias e alternativas a respeito das obras que devem ser executadas”, disse Helder Barbalho, que conversou ainda com os ministros do Desenvolvimento Regional e de Infraestrutura, e o chefe da Casa Civil, para discutir alternativas de captação de recursos federais para a realização das obras no Pará.

A Capitania dos Portos informou que colocou uma barreira de contenção na área para minimizar os possíveis impactos causados pelo vazamento de óleo da embarcação, o que já está controlado. A carga da balsa (resíduo de dendê) não apresentaria, a princípio, risco de contaminação.

O que se sabe até agora

  • Uma balsa que transportava rejeitos de dendê colidiu contra um dos pilares de sustentação da ponte na madrugada de sábado (6)
  • Testemunhas dizem ter visto dois carros caírem no rio; bombeiros fazem buscas
  • Inquérito é aberto e desabamento é investigado pelo MPPA
  • Balsa, que provocou desabamento, estava irregular, segundo informações da Capitania dos Portos
  • Tripulação da balsa presta depoimento, conteúdo não é divulgado
  • Governo anuncia medidas emergenciais para diminuir impactos do acidente

Mapa mostra ponto em que parte de ponte caiu — Foto: Juliane Souza Mapa mostra ponto em que parte de ponte caiu — Foto: Juliane Souza

Mapa mostra ponto em que parte de ponte caiu — Foto: Juliane Souza

PONTE CAI NO PARÁ

  • Ponte cai sobre o rio Moju

  • MP, Polícia e Capitania apuram queda de ponte

  • Corpo de Bombeiros busca desaparecidos

  • Balsa que provocou queda de ponte no Pará estava irregular e não poderia estar navegando

  • Polícia ouve tripulação de balsa

  • Pessoas gritaram 'socorro', diz testemunha

  • Corpo de Bombeiros retoma buscas no domingo

  • Medidas emergenciais

  • 2º dia de buscas é encerrado sem encontrar vítimas

  • Buscas são retomadas na segunda

  • Procura por balsas aumenta após queda de ponte no Pará


Quer comprar um apartamento num dos centros de Goiânia?

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE