Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Em Washington, Bolsonaro se reúne com secretário-geral da OEA

Presidente está no terceiro e último dia de sua viagem oficial aos Estados Unidos. Mais tarde, ele será recebido por Donald Trump na Casa Branca.

 

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu na manhã desta terça-feira (19), em Washington, com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro.

Este é o terceiro e último dia da visita oficial de Bolsonaro aos Estados Unidos. No início da tarde (horário de Brasília), ele será recebido na Casa Branca pelo presidente norte-americano Donald Trump.

A OEA é um organismo internacional que reúne 35 estados independentes, o Brasil entre eles, e atua como fórum governamental político, jurídico e social.

Diplomata de carreira, Almagro foi senador e ministro das Relações Exteriores do Uruguai. Ele foi eleito secretário-geral da OEA em 2015.

Entre os assuntos que preocupam o Brasil e a OEA está a crise política, econômica e social da Venezuela. A OEA aprovou em janeiro uma declaração em que não reconheceu a legitimidade do novo mandato de Nicolás Maduro na Venezuela.

A medida foi um chamado à "realização de novas eleições presidenciais com todas as garantias necessárias para um processo livre, justo, transparente e legítimo".

Expectativa é grande para encontro entre Bolsonaro e Trump na Casa Branca

Expectativa é grande para encontro entre Bolsonaro e Trump na Casa Branca

Almagro também apoiou, em uma mensagem na internet, o líder opositor e autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guiadó.

O Brasil não reconhece a legitimidade do governo Maduro e considera Guaidó o presidente interino da Venezuela. Bolsonaro, inclusive, recebeu o venezuelano no Palácio do Planalto.

O governo brasileiro tem repetido que não participaria de uma intervenção na Venezuela, porém, Bolsonaro citou nesta segunda (18) a capacidade "bélica" dos norte-americanos ao dizer que é preciso "resolver a questão da Venezuela".

No início desta madrugada, Bolsonaro concedeu entrevista ao canal norte-americano Fox News, e disse querer que a Venezuela "volte à democracia" e que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo Maduro.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE