Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Assassinado no México terceiro jornalista desde o começo do ano

Santiago Barroso levou três tiros e morreu na última sexta-feira, 15. Profissional investigava a presença do narcotráfico em San Luis Río Colorado.

 

O jornalista Santiago Barroso se tornou o terceiro jornalista assassinado no México este ano depois que indivíduos armados atiraram contra a sua casa em Sonora, estado fronteiriço com os Estados Unidos com forte presença do narcotráfico, informaram fontes oficiais neste sábado (16).

"Lamento o covarde atentado onde perdeu a vida o jornalista Santiago Barroso", escreveu no Twitter Santos González, prefeito de San Luis Río Colorado, o município de Sonora onde morava Barroso.

O coordenador-geral de comunicação da Presidência do México, Jesús Ramírez, expressou sua "indignação por este ataque contra a liberdade de expressão".

Na noite de sexta-feira, o repórter de 47 anos "foi vítima de um ataque a tiros no próprio domicílio e depois que foi transferido para atendimento hospitalar pelos serviços de urgência, faleceu", reportou Contraseña, semanário online para o qual colaborava Barroso.

Segundo este veículo, dois indivíduos que chegaram em um veículo à casa do jornalista "bateram na porta e quando Santiago abriu dispararam à queima-roupa, conseguindo impactá-lo até em três ocasiões, duas no estômago e uma no mamilo esquerdo".

De acordo com meios locais, Barroso investigava a presença do narcotráfico em San Luis Río Colorado.

Este caso se soma à lista de mais de cem comunicadores mortos no México desde o ano 2000, segundo a organização Repórteres sem Fronteiras (RSF, com sede em Paris).

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE