Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

'''Poderia me pedoar?''', '''Alita''', '''Minha fama de mau''': Saiba mais sobre estreias da semana

Comédia dramática indicada ao Oscar tem Melissa McCarthy em um dos melhores momentos da carreira; G1 comenta em VÍDEO.

 

Fãs de mangás vão correr para os cinemas nos próximos dias, com a estreia de "Alita: Anjo de combate", adaptação de uma história do gênero. A semana também tem o indicado ao Oscar "Poderia me perdoar?" e a biografia "Minha fama de mau".

O G1 comenta as estreias da semana no VÍDEO acima; saiba mais abaixo

Cena de 'Alita: Anjo de combate' — Foto: Divulgação Cena de 'Alita: Anjo de combate' — Foto: Divulgação

Cena de 'Alita: Anjo de combate' — Foto: Divulgação

'Alita: Anjo de combate'

É uma superprodução de ficção científica, adaptada de um mangá criado nos anos 90. Apesar disso, tem tudo a ver com os dias de hoje, por ser uma história pós-apocalíptica, gênero que cresceu muito nos últimos anos.

A trama é ambientada numa sociedade em que humanos e robôs convivem. A protagonista é uma dessas ciborgues.

Ela é achada num ferro velho e acorda sem lembrar de nada sobre sua vida. Então, parte em busca do próprio passado. Descobre ser mestre em artes marciais, vira uma caçadora de recompensas e vive uma bonita história de amor.

É um filme conectado com o momento das mulheres em Hollywood, com uma heroína forte e cheia de personalidade.

E há um nome poderoso na produção do filme, o de James Cameron, diretor dos megasucessos "Titanic" e "Avatar". Quem dirige é Robert Rodriguez, de "Sin City".

Melissa McCarthy ("Poderia Me Perdoar?") — Foto: Divulgação Melissa McCarthy ("Poderia Me Perdoar?") — Foto: Divulgação

Melissa McCarthy ("Poderia Me Perdoar?") — Foto: Divulgação

'Poderia me perdoar?'

A comédia dramática é mais uma candidata ao Oscar. Conseguiu três indicações na premiação, incluindo a de Melhor Atriz para Melissa McCarthy.

Ela interpreta uma autora em decadência que, num momento de desespero, usa seu conhecimento histórico para forjar cartas de celebridades já mortas. A protagonista ganha um bom dinheiro com isso. mas, quando começam a surgir suspeitas, ela parte para crimes ainda mais graves.

É uma história quase inacreditável, mas aconteceu de verdade. O filme é inspirado na vida da autora americana Lee Israel, que morreu em 2014.

Melissa faz um bom trabalho. Está contida, não apela para caricatura. Talvez não ganhe o Oscar - há outras atrizes consideradas favoritas - mas "Poderia me perdoar" é um dos melhores momentos de sua carreira.

Assista ao trailer de 'Minha Fama de Mau

Assista ao trailer de 'Minha Fama de Mau'

'Minha fama de mau'

A jovem guarda era uma festa efusiva, com ode a um estilo de vida maroto, mulheres e carros em meio à tormenta sofrida e mansa da bossa nova. E também é festiva essa cinebiografia de Erasmo Carlos.

Chay Suede interpreta Erasmo Carlos em 'Minha fama de mau' — Foto: Divulgação Chay Suede interpreta Erasmo Carlos em 'Minha fama de mau' — Foto: Divulgação

Chay Suede interpreta Erasmo Carlos em 'Minha fama de mau' — Foto: Divulgação

O filme, de Lui Farias, é um retrato-homenagem não só ao cantor, mas ao estilo que marcou os anos 1960.

Ele se baseia - com muita liberdade - na biografia homônima de Erasmo para pintar um retrato colorido com alguns tons de cinza do caminho do cantor. Da malandragem ao estrelato, passando por um período de questionamentos e fundo do poço. Leia crítica completa.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE