Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Família intoxicada com monóxido de carbono é internada em UTI no Marajó

Cinco pessoas, incluindo duas crianças, apresentam estado grave de saúde no Hospital de Breves; uma mulher morreu. Pneumologista diz que intoxicação pode deixar sequelas.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

No Marajó, cinco pessoas da família intoxicada com monóxido de carbono, em Curralinho, foram internadas em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Breves.

Entre as vítimas estão duas crianças, uma de seis anos e outra de quase meses. O estado de saúde deles deve ser atualizado na manhã desta terça-feira (12), segundo o hospital. Uma mulher, identificada como Ione Soares Dias, de 37 anos, morreu.

Mulher morre intoxicada com monóxido de carbono no Marajó; outras cinco da família estão com estado grave em hospital no Pará. — Foto: Reprodução / TV Liberal Mulher morre intoxicada com monóxido de carbono no Marajó; outras cinco da família estão com estado grave em hospital no Pará. — Foto: Reprodução / TV Liberal

Mulher morre intoxicada com monóxido de carbono no Marajó; outras cinco da família estão com estado grave em hospital no Pará. — Foto: Reprodução / TV Liberal

O incidente aconteceu no domingo (10), quando a família teria ligado um gerador de energia movido a diesel dentro da residência, pois havia faltado luz na cidade. O motor ficou funcionando durante toda a madrugada enquanto as vítimas dormiam e inalaram o gás por aproximadamente dez horas.

Um parente das vítimas contou que viu os parentes desmaiados ao chegar na casa pela manhã. "Bati na porta, eles não abriram. Peguei uma escada e olhei pelo buraco do ar-condicionado, que eu vi que meu irmão estava desmaiado, aí corri pela porta de trás e arrombei", disse.

As vítimas foram logo socorridas no hospital de Curralinho. A diretora da unidade, Giane Ellen, disse que toda a equipe foi mobilizada. "O hospital todo parou para prestar atendimento, acionamentos enfermeiros de folga, todos vieram", informou.

De acordo com boletim médico divulgado pelo Hospital de Breves, as vítimas deram entrada às 11h33 desta segunda, no setor de Urgência e Emergência, todos com nível de rebaixamento de consciência. Até o momento, não há necessidade de transferência hospitalar, segundo o boletim.

Intoxicação pode deixar sequelas, diz pneumologista

O monóxido de carbono não tem cor, nem cheiro e, segundo a médica pneumologista Lúcia Sales, pode deixar sequelas.

"Dependendo do tempo que eles ficaram sem oxigênio, pode ocorrer sequelas e parte do organismo pode ter algum sofrimento. Um infarto do miocárdio, por exemplo, se já havia lesão prévia, ou podendo apresentar sequelas neurológicas por conta da deficiência de oxigênio durante o período em que foram submetidos", explicou.

De acordo com especialistas, geradores de energia movidos a diesel devem ser instalados fora da residência, em locais afastados, ventilados e longe de pessoas ou animais.

Uma outra orientação é seguir normas de instalação definidas para cada tipo de gerador.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE