Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍTICA

Binotti quer apoio dos 4 representantes políticos de Lucas para garantir recursos

 
O Prefeito da Capital da Agroindústria, Flori Luiz Binotti (PSD), avalia que a ampliação da representatividade política de Lucas do Rio Verde (a 334 km de Cuiabá), alcançada nas Eleições 2018, deverá garantir expansão de recursos destinados ao desenvolvimento econômico e social do município.

Lucas é o domicílio eleitoral do vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), deputado estadual Silvio Fávero (PSL), deputado federal Neri Geller (PP), e do responsável pelo Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat), em Brasília, Carlos Fávaro (PSD), que é ex-vice-governador de Pedro Taques (PSDB) e foi candidato a senador por Mato Grosso nas últimas eleições, recebendo 434.972 votos.

“Lucas ficou muito bem e tem condições de pleitear mais recursos. Tenho certeza que os representantes daqui, embora vão trabalhar para todo o Estado e pelo país, também terão um olhar especial para a nossa região”, avalia Binotti.

Dos quatro representantes do município com destaque no atual cenário político, a relação mais espinhosa de Binotti ocorreu com o deputado Silvio Fávero, que foi seu vice-prefeito. Desde o primeiro mês de gestão, iniciada em 2016, a relação política entre os dois foi rompida por desavenças políticas.

“O que tivemos aqui foi uma incompatibilidade de trabalho, mas ele é meu amigo e tenho certeza que vai ser um parlamentar que vai olhar com carinho e trabalhar por Lucas, independente destas situações. Um parlamentar tem que pensar grande, não olhar pequenas picuinhas. Da minha parte é coisa superada, espero que seja por parte dele também”, aponta o prefeito.

Lucas ficou muito bem e tem condições de pleitear mais recursos

Binotti alega que a ampliação da representatividade política aliada ao recém recebido título de Capital Mato-grossense da Agroindústria, impulsionará o município a uma “grande campanha” para atrair mais investimentos desta natureza. “Lucas vai se consolidar como um grande pólo regional, principalmente com a implantação das ferrovias. Tudo isso nos dá um rumo e valoriza nossa vocação agroindustrial”.

Com essa perspectiva, o prefeito antecipa que em 14 deste mês vai estar em Brasília para uma audiência com o deputado Neri Geller, em conjunto com representantes da Concessionária Rota do Oeste e o secretário de Governo, General Santos Cruz. A reunião deverá buscar soluções para os entraves envolvendo a concessão da BR-163, sob responsabilidade da Rota, cuja perspectiva é a duplicação até Sinop (a 490 km de Cuiabá).

“Por enquanto esta duplicação está paralisada, porque a Rota não conseguiu captar financiamento em razão das investigações envolvendo a Odebrescht, que é a controladora da concessionária. Nesta reunião queremos buscar uma definição, ou o governo federal sinaliza a garantia dos recursos ou um novo processo de concessão”, defende Binotti.

Outra pauta que Binotti quer contar com apoio dos representantes políticos do município é em relação à renovação de outorgas das ferrovias da Vale, que em contrapartida investirá R$ 4 bilhões na construção de um trecho do modal entre Campinorte (GO) e Água Boa (MT).

Apesar de que a decisão do Governo Federal em adiar a renovação possa atrasar o início da construção da ferrovia, que tinha previsão para começar este ano, a perspectiva de Binotti é captar recursos que possam construir o trecho da ferrovia entre Lucas do Rio Verde e Água Boa, que dá um traçado de aproximadamente 420 km em linha reta. “A ideia é que enquanto a Vale constrói a ferrovia entre Campinorte e Água Boa, consigamos construir simultaneamente o trecho entre Lucas e Água Boa”, defende.


RDNews

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE