Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Parlamento deve votar nesta semana mudança do nome da Macedônia em meio a protestos

Disputa do nome com uma província no norte da Grécia trava negociação entre os dois países, que são vizinhos.

 

O Parlamento da Macedônia se prepara para decidir nesta semana sobre a mudança de nome do país para "República da Macedônia do Norte".

A medida tenta acabar com uma disputa com a Grécia. Os gregos argumentam que "Macedônia" deveria se aplicar apenas à sua província do norte – e não ao país que integrava a antiga Iugoslávia até 1991.

A mudança de nome tem sido uma verdadeira batalha envolvendo o apoio de dois terços dos 120 membros do Parlamento e quatro emendas constitucionais. Se a mudança for aprovada, a Grécia suspenderá seu veto à entrada da Macedônia na Otan e na União Europeia.

  • Milhares de gregos foram às ruas contra o uso do nome 'Macedônia' pelos vizinhos

"Acreditamos que a votação será na sexta-feira", disse o deputado Aleksandar Kiracovski, líder do Partido Social-Democrata (SDSM) do primeiro-ministro Zoran Zaev.

"Acho que teremos a maioria de dois terços", previu Zaev. Essa maioria é a necessária para confirmar a troca no nome e abrir o caminho para a reconciliação com a Grécia.

Críticas à proposta

Grupo nacionalista se manifesta contra mudança de nome da Macedônia — Foto: Ognen Teofilovski/Reuters Grupo nacionalista se manifesta contra mudança de nome da Macedônia — Foto: Ognen Teofilovski/Reuters

Grupo nacionalista se manifesta contra mudança de nome da Macedônia — Foto: Ognen Teofilovski/Reuters

Os nacionalistas argumentam que mudar o nome significa se render às pressões da Grécia e convocaram um protesto para esta quarta-feira. Uma grande manifestação na frente do parlamento na capital Skopje reuniu opositores da medida.

O presidente da Macedônia, Gjorge Ivanov, de direita, se opõe à mudança de nome. Porém, a Constituição estipula que, se a medida passar com pelo menos dois terços dos votos, ele deve assiná-la.

Embora o referendo consultivo realizado em setembro tenha apoiado a mudança com 90% dos votos, os críticos o classificaram como inválido, já que mais de dois terços se abstiveram de votar.

Enquanto a maioria dos deputados do partido VMRO-DPMNE são firmes diante da oposição à mudança, o partido estremeceu com a deserção de alguns de seus integrantes durante a votação em novembro. A sigla sofreu com a queda dramática de seu ex-líder, Nikola Gruevski.

O ex-primeiro-ministro Gruevski fugiu da Macedônia em novembro para escapar de uma sentença de dois anos de prisão por abuso de poder. Ele vive atualmente na Hungria e beneficia de asilo político.

Mas mesmo que a Macedônia aprove a mudança de nome, o Parlamento da Grécia deve aprovar se aceita ou não a mudança.

Zaev, o premiê da Macedônia, chegou a um acordo com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que conta com uma maioria frágil no Parlamento, com 153 deputados em um parlamento composto por 300 deputados.

Além disso, o ministro da Defesa e parceiro da coalizão, Panos Kammenos, líder de um partido menor, se opõe ao acordo e ameaçou renunciar.


Quer comprar um apartamento num dos centros de Goiânia?

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE