Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Após mais de 7,5% de aumento no preço do gás de cozinha, novo reajuste preocupa consumidores e empresários

Em 2018 o reajuste acumulado do gás chegou a 7,69%. Atualmente, o gás esta sendo comercializado em média a R$ 75,00. Novo reajuste é previsto para o início de 2019.

 

Em 2018, o reajuste acumulado do gás de cozinho chegou a 7,69%, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP). Os paraenses estão preocupados com o novos aumentos previstos para o início de 2019. O desafio é segurar os preços e não repassar o valor para os consumidores.

“A gente tenta fazer um esforço pra não deixar faltar o gás e é um esforço enorme por conta dos aumentos que vem acontecendo a cada mês. Pra gente não passar esse valor para o cliente, a gente acaba tentando vender mais pra poder segurar os preços”, relata Cleiton sousa, gerente de pizzaria.

Segundo a ANP, em 2018 o preço do gás de cozinha subiu 7,69%. Atualmente, o gás esta sendo comercializado em média a R$ 75,00, o que pesa no bolso do consumidor doméstico e dos empresários.

Cada depósito que comercializa botijões de gás estipula o preço médio do produto. O preço pode variar de acordo com cada bairro. Em alguns casos o lucro é R$7,00 por botijão. Segundo os empresários, o gás poderia ser comercializado até R$ 85,00.

“Nós procuramos sempre nivelar o preço de acordo também com a condição financeira daqueles que nos cercam. A gente procura sempre dar um preço justo ao nosso consumidor com qualidade. Em relação ao preço do gás, muitos empresários aproveitam do poder aquisitivo de determinado bairro para elevar os preços repassando para o consumidor final o valor elevado”, explica Nelson Casara, gerente de depósito de gás.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE