Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

A pedido do MP, adolescente que confessou estupro e assassinato de criança no PA é transferido para Belém

Kailla Correa, 3, foi encontrada morta em uma cova rasa na zona rural de Bragança. O corpo tinha marcas de espancamento e fraturas, segundo familiares. O crime chocou a cidade.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

O adolescente que confessou ter estuprado e assassinado a menina Kaila Gabriela Correa, 3, em Bragança, nordeste do estado, foi transferido para o Centro de Internação Masculino (Ciam), em Belém. O pedido de transferência foi feito pelo Ministério Público (MPPA) e acatado pela Justiça.

O espaço é destinado a adolescentes ainda não sentenciados, que cumprem internação provisória de 45 dias. Durante esse período, o juizado da Infância e Juventude deve decidir a pena que deve ser aplicada.

Kaila Gabriela, de 3 anos, foi encontrada morta e enterrada no quintal de casa em Bragança — Foto: Reprodução / TV Liberal Kaila Gabriela, de 3 anos, foi encontrada morta e enterrada no quintal de casa em Bragança — Foto: Reprodução / TV Liberal

Kaila Gabriela, de 3 anos, foi encontrada morta e enterrada no quintal de casa em Bragança — Foto: Reprodução / TV Liberal

O adolescente de 14 anos já havia sido transferido para Capanema, cidade vizinha de Bragança onde ocorreu o crime. A medida foi tomada para garantir a integridade física do suspeito, depois que a população tentou invadir a delegacia.

Caso chocou a cidade

Kailla desapareceu na manhã do dia 1º de janeiro e foi encontrada morta em uma cova rasa cerca de 10 horas depois em um terreno que pertence à família dela na Vila do Meio, zona rural do município. O corpo tinha marcas de espancamento e fraturas, segundo familiares.

O velório e sepultamento de Kailla Gabriela ocorreram na quinta-feira (3). Familiares, amigos e vizinhos ficaram chocados com o crime.

O percurso até o cemitério foi feito a pé por uma multidão, que seguiu em cortejo até a vila Bacuriteua. No enterro, a criança foi homenageada.

Moradores revoltados com o crime, bloquearam a rodovia que liga Bragança à praia de Ajuruteua. Os manifestantes também foram para a frente da delegacia, onde o suspeito do crime estava apreendido.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE