Agricultura

Agricultura

Fechar
PUBLICIDADE

Agricultura

Nutrientes especializados como solução para altas produtividades no feijão

O feijão é uma cultura de ciclo muito curto e, muitas vezes, não tem tempo de se recuperar de alguma injuria, seja ela causada por um produto químico, intempéries climáticas ou falta de algum elemento nutricional.

 

Nutrientes especializados como solução para altas produtividades no feijão

“O Brasil é o maior produtor e consumidor de feijão do mundo, com aproximadamente 3,2 milhões de toneladas/ano. Justamente por fazer parte da dieta básica dos brasileiros, o grão também possui papel de destaque em nossa agricultura”, diz Antonio Coutinho, diretor de Inovação da Brandt do Brasil, uma das maiores fornecedoras de fertilizantes do mundo. “O feijão é cultivado em praticamente em todo o território nacional, com destaque a Paraná, Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará, Pernambuco e Pará, responsáveis por 80% da produção brasileira”, complementa Coutinho.


Como todas as culturas agrícolas, o feijão também tem os seus desafios fitossanitários. Antonio Coutinho ressalta que o conjunto de tratamentos para o controle de pragas, doenças e plantas daninhas do feijão podem ocasionar estresse químico nas plantas de maneira significativa, a ponto de comprometer a produtividade e o resultado econômico. “Os herbicidas costumam ser sempre os maiores causadores de estresse químico, mas, via de regra, os efeitos podem ser minimizados com o uso de fertilizantes foliares eficientes, que nutrem a planta e atenuam os desequilíbrios causados por defensivos agrícolas”, explica o diretor de Inovação da Brandt do Brasil.

O feijão é uma cultura de ciclo muito curto e, muitas vezes, não tem tempo de se recuperar de alguma injuria, seja ela causada por um produto químico, intempéries climáticas ou falta de algum elemento nutricional. “Por esse motivo, é de suma importância trabalhar com um manejo que garanta a manutenção da cultura em seu melhor estado fisiológico, garantindo melhor expressão genética. Isso certamente resultará em maiores índices de produtividade”, explica Samuel Guerreiro, diretor técnico da Brandt no Brasil.

A Brandt tem tecnologias que, quando aplicadas nos momentos certos, tendem a reduzir os efeitos fitotóxicos de alguns químicos, assim como prepara e recupera as plantas durante ou após algum estresse climático. Isso ocorre porque os produtos da empresa atuam diretamente na parte nutricional, com foco na entrega de nutrientes de alta absorção e com translocação comprovada.

Samuel Guerreiro lembra que o principal fator de produção do feijoeiro é o número de vagens por planta. Assim, é fundamental que o agricultor consiga reduzir o abortamento floral. O elemento-chave para se obter o melhor pegamento de flores, ou seja, menor abortamento das mesmas, é a utilização do nutriente Boro. “Buscando melhor a distribuição do Boro e, consequentemente, a redução do abortamento floral, a Brandt do Brasil oferecer ao mercado a tecnologia BRANDT Manni-Plex B-Moly, que apresenta resultados positivos, comprovados por pesquisas realizadas pela Agrícola Consultoria, que registraram 15% de aumento em produtividade em relação aos outros insumos comumente utilizados nas fazendas”, informa o diretor técnico.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE