Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Autoridades prometem mais rigor contra irregularidades no transporte de cargas e passageiros nos rios do Pará

Manter a segurança no transporte fluvial é um desafio para as autoridades. Nesta sexta-feira 13 , o assunto foi discutido durante um encontro promovido pelo Ministério Público do Estado.

 
 -  Porto da Praça Tiradentes em Santarém, no Pará  Foto: Adonias Silva/G1
Porto da Praça Tiradentes em Santarém, no Pará Foto: Adonias Silva/G1

As irregularidades no transporte de cargas e passageiros nas embarcações é apontada como a principal causa de acidentes nos rios do Pará. Aliado a isso, os casos de contrabando, tráfico de pessoas e de substâncias entorpecentes também são preocupantes.

Manter a segurança no transporte fluvial é um desafio para as autoridades. Mesmo com a fiscalização, muitos conseguem driblar as leis e violar, os direitos dos cidadãos de bem. A chamada “cultura do risco” é um fator determinante para ocorrências.

Nesta sexta-feira (13), o assunto foi discutido durante um encontro promovido pelo Ministério Público do Estado (MP-PA) em Santarém, oeste paraense. A proposta, segundo o promotor de justiça Túlio Novaes, é garantir a segurança de todos nos rios.

Encontro promovido pelo Ministério Público do Estado (MP-PA) em Santarém (Foto: Bruna Jaqueline/G1) Encontro promovido pelo Ministério Público do Estado (MP-PA) em Santarém (Foto: Bruna Jaqueline/G1)

Encontro promovido pelo Ministério Público do Estado (MP-PA) em Santarém (Foto: Bruna Jaqueline/G1)

“O intuito das autoridades fiscalizadoras é minimizar o risco na circulação de cargas e passageiros na região. Esse risco diz respeito não só a segurança no transporte, a segurança das pessoas, mas também a prevenção da criminalidade”, disse Novaes.

O encontro reuniu Capitania Fluvial, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará (Arcon). Donos de embarcações também estiveram no encontro. Não teve representante do Governo.

As autoridades prometem mais rigor contra irregularidades no transporte de cargas e passageiros nos rios. Também prometem unir forças para que o trabalho seja feito sempre em parceria. A intenção do MP é reforçar as ações de segurança em todas as cidades.

Tráfico de drogas

A maioria das apreensões de droga no interior do estado ocorre por meio da Operação Sentinela no porto de Óbidos, no rio Amazonas, um dos principais corredores de entrada e saída de droga no Pará.

A polícia consegue barrar o transporte feito em embarcações, como barcos e até navios que saem principalmente do estado do Amazonas com direção a Belém e cidades ao entorno. Óbidos é passagem obrigatória e ponto estratégico das ações da polícia.

O combate ao tráfico é feito ainda nas estradas. Na BR-163, a Polícia Rodoviária Federal tem intensificado as fiscalizações. Em todas as cidades do oeste paraense, as polícias Civil e Militar reforçam o trabalho de combate ao tráfico, que resultam em grandes apreensões.

Atravessadores

É visando o lucro fácil que muitas pessoas acabam servindo de atravessadores de drogas, se arriscando em prestar serviço para grandes traficantes. A maior dificuldade é identificar a bagagem nas embarcações pela falta de identificação.

Nesses casos, o número de apreensões de droga acaba sendo maior do que o número de pessoas. A PF pede que as empresas passem a desenvolver um trabalho de identificação das bagagens e assim ajudar no trabalho de combate à criminalidade.

Segurança nas embarcações

A Capitania Fluvial de Santarém tem reforçado as fiscalizações nos rios e diz que a segurança é um dever de todos, tanto dos donos de embarcações, quanto de tripulantes e passageiros. Denúncias de irregularidades podem ser feitas diretamente à Marinha do Brasil.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE