Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Cinco são amarrados e assassinados em chacina na Grande Fortaleza

Crime ocorreu no limite entre as cidades de Maranguape e Palmácia.

 

Cinco pessoas foram assassinadas em uma chacina na manhã desta sexta-feira (13) na comunidade de Cafundó, no limite entre Palmácia e Maranguape, na Grande Fortaleza. Os corpos foram achados em um matagal, com as mãos atadas nas costas e marcas de tiro na cabeça.

Três deles são da mesma família, um pai e dois filhos. As outras pessoas mortas são moradores de Itapebussu, no interior do estado. Junto com o grupo estava uma sexta pessoa, que fugiu do local. Eles foram identificados como Francisco, Freitas, Vanderlei (pai e dois filhos, respectivamente), Antônio Pequeno e Roniele.

Eles foram rendidos por criminosos, amarrados com cordas e executados. A polícia está no local e reforçou as buscas pelos suspeitos. Até o início da tarde desta sexta, ninguém havia sido preso.

A Polícia Civil também não sabe esclarecer o que motivou a chacina.

"Reforçamos as buscas e contamos com apoio de policiais de cidades vizinhas. Ainda não se sabe da autoria do crime, mas com um trabalho do serviço da Inteligência [da Polícia Civil] acreditamos que vamos localizá-los e dar uma resposta que a sociedade merece", afirmou um policial ao G1.

Um morador da região afirmou ao policial que acordou com o "barulho estrondoso" dos tiros. "O que nos relataram é que foi por volta de 5h da manhã. A comunidade mais próxima ainda fica distante, mas foi um barulho estrondoso de tiro que assustou todo mundo por aqui", diz o policial.

Sobrevivente fugiu

O G1 apurou que uma sexta pessoa, identificada apenas como Augusto, seria o "principal alvo" dos criminosos. Ele fugiu do local.

"O Augusto já responde por roubo e homicídio e é acusado de um estupro. Ele fugiu recentemente da cadeia e informações preliminares apontam que ele era o principal alvo dos assassinos", afirmou um policial civil.

Quatro das cinco vítimas são suspeitas de envolvimento de um homicídio ocorrido no distrito de Amanari, em Maranguape, em 2004.

6ª chacina no ano

O Ceará teve ao menos seis chacinas neste ano, uma delas, a chacina no Bairro Cajazeiras, deixou 14 mortes, na maior matança já registrada no estado, conforme a Secretaria de Segurança.

Já em março, dois ataques no Bairro Benfica, na Praça da Gentilândia e na sede de uma torcida organizada do Fortaleza, resultaram na morte de sete pessoas.

Em junho, um bando armado invadiu uma casa em um sítio do MST em Quixeramobim, no interior do estado, e matou as quatro pessoas que estavam na residência.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE