Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Pity Álvarez, roqueiro argentino, confessa assassinato de vizinho: '''Era ele ou eu'''

Ex-líder das bandas Viejas Locas e Intoxicados se apresentou à polícia em Buenos Aires.

 
 -  O músico argentino Cristian   34;Pity  34; Álvarez em foto de 2008  Foto: Fernando Gutierrez/Diario La Nacion via AP
O músico argentino Cristian 34;Pity 34; Álvarez em foto de 2008 Foto: Fernando Gutierrez/Diario La Nacion via AP

O músico argentino Cristian "Pity" Álvarez, ex-líder das bandas de rock Viejas Locas e Intoxicados, confessou ter matado um vizinho. "Eu o matei, era ele ou eu", disse à imprensa antes de se entregar nesta sexta-feira (13) à polícia.

Álvarez era alvo de um pedido de prisão desde a véspera, pois, segundo testemunhas, ele tinha disparado 4 vezes contra Cristian Díaz, de 36 anos.

O cantor, de 46 anos, se apresentou na comissaria 52 de Buenos Aires.

"Sim, eu o matei porque era entre ele ou eu. Qualquer animal faria o mesmo. Era um cara que roubava. Não era questão de drogas. Não éramos amigos", disse.

Álvarez disse que o episódio ocorreu na madrugada da quinta-feira, ao pé do prédio em que ele mora em um bairro de classe baixa no sul da capital.

O homem assassinado era um antigo vizinho de Álvarez que tinha ido visitar sua filha de 16 anos, que ainda morra no mesmo prédio, segundo a mulher da vítima.

Segundo a polícia, Álvare abandonou o local e se livrou da arma, que foi encontrada. Ele disparou 5 vezes, segundo as autoridades.

O músico, que em outras ocasiões se viu envolvido em polêmicas menores, começou sua trajetória no final dos anos 1980 como integrante do Viejas Locas, com o qual fez grande sucesso no país e, nos anos 2000, fez parte da banda Intoxicados.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE