Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Justiça dá prazo de 15 dias para PMS fazer adequações no mercado da Rodagem para receber feirantes do Tablado

Associação dos Feirantes havia ingressado com pedido de liminar junto a 6ª Vara Cível e Empresarial de Santarém.

 
 -  Feirantes seguem fazendo suas vendas na Feira do Tablado que está interditada por ordem judicial  Foto: Marilha Maia/Arquivo/G1
Feirantes seguem fazendo suas vendas na Feira do Tablado que está interditada por ordem judicial Foto: Marilha Maia/Arquivo/G1

O juiz da 6ª Vara Cível e Empresarial, Flavio Oliveira Lauande, da comarca de Santarém, oeste do Pará, concedeu a liminar em favor da Associação dos Feirantes do Tablado, que determina prazo de 15 dias para que a Prefeitura de Santarém faça adequações na área do Mercado Tupaiulândia (Rodagem) para receber os feirantes, sob pena de multa diária de R$ 1 mil.

O pedido de liminar foi feito pelos advogados que representam a associação de feirantes, diante da ordem de suspensão das atividades da Feira do Tablado, e pela falta de condições da entidade, de construir um espaço para alocar os vendedores. Pela obrigação de fazer, a Prefeitura de Santarém terá de viabilizar condições básicas sanitárias e de infraestrutura para receber os feirantes na área do mercado.

Em 24 de maio desse ano, a Prefeitura de Santarém foi notificada oficialmente do despacho do juiz da 6ª Vara Cível e Empresarial, que determinou a interdição imediata da feira e a retirada em três dias dos vendedores que atuam na Feira do Tablado, localizada em frente ao Mercadão 2000. O juiz determinou multa de R$ 10 mil por dia se houver descumprimento da decisão.

No final da manhã do dia 25 de maio, a Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Semap) interditou a Feira do Tablado, em atendimento a uma decisão judicial que determinava a retirada dos feirantes em razão das precárias condições do espaço. Porém, os feirantes permanecem comercializando seus produtos no local.

Por telefone, o secretário de Agricultura e Pesca, Bruno Costa, informou ao G1 que a Semap ainda não foi notificada oficialmente da liminar concedida pela 6ª Vara Cível.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE