Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Oleiros fazem novo protesto e pedem pagamentos de indenizações a empresa Norte Energia

O grupo interditou parte da pista no km 27 da rodovia transamazônica com pedaços de madeira, e bloqueou o trecho principal que dá acesso a hidrelétrica de Belo Monte.

 

Oleiros que esperam ser indenizados há quatro anos pela empresa Norte Energia realizam um protesto em Altamira, sudoeste do estado. O grupo interditou parte da pista no km 27 da rodovia transamazônica com pedaços de madeira, e bloqueou o trecho principal que dá acesso a hidrelétrica de Belo Monte. Eles alegaram que perderam a única fonte de renda com a construção da usina.

No mês de maio, os oleiros ocuparam o escritório da Norte Energia para cobrar os pagamentos das indenizações. Na época eles alegaram terem sido obrigados a abandonar o trabalho. Novamente os trabalhadores protestam contra a empresa responsável pelo empreendimento. Os oleiros querem receber compensações financeiras pela perda da atividade que foi impactada diretamente pelas obras da hidrelétrica.

“O Ibama reconheceu o nosso direito que está no PBA. O Ministério Público Estadual reconheceiu esse direito, o Ministério Publico Federal reconheceu que temos esse direito, então todos os órgãos reconheceram que temos que receber esse valor”, disse o trabalhador.

Por conta do bloqueio, os trabalhadores de empresas terceirizadas, ligadas a Belo Monte não puderam passar pelo local. Ônibus permaneceram parados na rodovia Transamazônica, cerca de nove quilômetros de distancia do local da manifestação.

A atividade de olaria no município foi extinta em 2013, quando as áreas onde eram feitas as extrações de argila para produção artesanal de tijolos que foram alagadas pela formação do reservatório da Usina de Belo Monte. Os oleiros fizeram diversas tentativas de negociação com a empresa Norte Energia para conseguir indenizações pela perda da atividade, mas até hoje não teve nenhum acordo.

O Sindicato dos Oleiros de Altamira alega que a categoria espera por uma resposta positiva há quatro anos. A categoria propôs o pagamento de ações que variam de 60 mil até 200 mil reais aos antigos donos das olarias. Cerca de 100 pessoas teriam conseguido receber compensações financeiras pagas pela empresa, mas o sindicato diz que 191 pessoas ainda teriam direito ao beneficio.

Ainda segundo os trabalhadores, na última semana a empresa teria respondido que não pagaria os valores pedidos. Em nota, a Norte Energia informou que com relação às atividades dos oleiros no município, a empresa esclarece que no âmbito do licenciamento ambiental da usina hidrelétrica Belo Monte, todas as medidas de mitigação e compensação previstas para a categoria foram aplicadas.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE