Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍTICA

Suplente diz que Governo Taques fechou “torneira da corrupção” e oposição rebate

 
 -
O Vereador por Cuiabá, o suplente de deputado Marcrean Santos (PRTB) voltou a chamar atenção na Assembleia. Há menos de 15 dias na cadeira do colega Adalto de Freitas, o Daltinho (Patriota), subiu à tribuna para encampar a defesa do Governo Pedro Taques (PSDB). Afirma que o tucano vem fechando a torneira da corrupção e herdou um Estado sucateado e engessado do antecessor Silval Barbosa (sem partido).

Segundo o parlamentar, a população precisa fazer uma reflexão e ver que Taques está trabalhando, mesmo pegando um Estado endividado. “O governo anterior deixou obras inacabadas, trincheiras e viadutos não foram entregues. O governo vem fechando a torneira da corrupção”, afirmou durante sessão matutina desta quarta (16).

As declarações do suplente causou descontentamento da oposição. Valdir Barranco (PT) também subiu à tribuna e disse que Marcrean não tem andado o Estado para saber da decepção da população com o governo. “Parece que o Estado administrado pelo governador não é o mesmo que a maioria da população mato-grossense vive. A administração do governador é absolutamente caótica e incompetente”.

Em relação à corrupção, o petista afirma que o governador não é mais sinônimo de honestidade. Diz que conseguiu ludibriar a população nas eleições de 2010 e 2014, quando disputou de forma vitoriosa o Senado e o governo, respectivamente.

Segundo Barranco, o discurso da moralidade cai por terra, uma vez que sua gestão tem vários escândalos. Cita ainda as prisões dos primos do governador (o ex-chefe da Casa Civil Paulo Taques e seu irmão Pedro Zamar Taques) na segunda fase da Operação Bereré, denominada Bônus, que investiga suposto pagamento de propina dentro do Detran.

Na tréplica, Marcrean sustenta que o governador não pode ser responsabilizar por atos cometidos por membros de sua família. Sustenta também que a crise instalada no país, consequentemente nos Estados, é culpa do governo petista. “Crise instalada hoje foi deixada pelo Governo do PT. Maior ato de corrupção foi instalado pelo PT. É fácil acusar, não ando o Estado, mas também não sou bobo”, rebate.

Primeira polêmica

Logo quando assumiu a vaga deixada por Daltinho, em 2 deste mês, Marcrean apresentou projeto de lei para instituir o feriado do Dia do Evangélico em Mato Grosso. A data seria 31 de agosto. Para ter validade ainda neste ano, a mensagem precisa ser aprovada em plenário e sancionado pelo governador em tempo hábil.


RDNews

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE