Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Uberlândia registra primeiras mortes por influenza no Triângulo Mineiro em 2018

Prefeitura informou que um homem e uma mulher morreram há cerca de um mês com o vírus. Estado confirmou casos da doença em Ituiutaba e Araguari.

 
 -  Campanha de vacinação contra influenza segue até 1º de junho em Uberlândia  Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo
Campanha de vacinação contra influenza segue até 1º de junho em Uberlândia Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG) divulgou nesta segunda-feira (14) mais um informe epidemiológico relacionado a casos de Influenza.

Nele consta que, além de Araguari e Uberlândia - com casos já registrados em informes anteriores -, a cidade de Ituiutaba também tem casos confirmados do vírus. Além disso, A Prefeitura de Uberlândia informou ter registrado as primeiras duas mortes por influenza neste ano no Triângulo Mineiro.

  • Gripe 2018: devemos nos vacinar?
  • Vacina da gripe disponível no Brasil protege contra vírus H3N2, que provocou epidemia nos EUA

Uberlândia

O boletim do Estado aponta que Uberlândia tem dois casos de H3N2 e dois casos de Influenza A, sendo que um dos pacientes que contraiu o vírus morreu.

No entanto, a Prefeitura de Uberlândia informou que na cidade duas pessoas morreram por influenza A.

"Dos quatro casos do vírus na cidade, dois tiveram cura e dois foram a óbito. Dos pacientes que morreram, um é homem e outro é mulher, que não tinham se vacinado. Os óbitos ocorreram há cerca de um mês. Além disso, temos 25 casos aguardando resultado de exames", explicou Clauber Lourenço, coordenador de urgência e emergência da Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com o coordenador, a meta é vacinar 150 mil pessoas contra o vírus em Uberlândia. A campanha, que começou no dia 23 de abril, segue até 1º de junho.

"A vacinação ainda está baixa, pois vacinamos até agora cerca de 60 mil pessoas. As pacientes gestantes e crianças são as que menos compareceram nas redes de saúde. É necessário lembrar que a imunidade só acontece de 10 a 15 dias após a vacinação", alertou.

Araguari

Em Araguari foi registrado um único caso de H1N1 ainda no informe de abril. Na época, a Prefeitura informou que o registrado ocorreu no início de março na Santa Casa. A paciente tem 29 anos e teve alta hospitalar no dia 30 de março.

Ituiutaba

Já em Ituiutaba, foram registrados dois casos de influenza A. De acordo com a Prefeitura, os casos são referentes a duas crianças, de dois e cinco anos. Ambas foram diagnosticadas em Ituiutaba e tratadas em Uberlândia e receberam alta.

Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura informou que a meta de 2018 é imunizar cerca de 29 mil pessoas contra Influenza. Até esta segunda-feira (14), 13.568 foram imunizadas.

Estado

De acordo com a SES-MG, em 2018, foram confirmados, 53 casos de influenza em Minas Gerais. Desses casos, dois pacientes morreram pela doença- uma ocorreu em Paraguaçu, no Sul de Minas, e outra em Uberlândia.

A segunda morte de Uberlândia, confirmada pela Prefeitura, ainda não entrou nos dados do boletim. O próximo relatório sobre a doença será publicado dentro de 15 dias.

Além disso, de acordo com o Estado, dos 53 casos provocados pelo influenza, 33 foram de influenza H3N2, cinco de influenza H1N1, 12 de influenza A e três de Influenza B.

Entenda alguns sintomas da Influenza H1N1 (Foto: Reprodução/ Inter TV) Entenda alguns sintomas da Influenza H1N1 (Foto: Reprodução/ Inter TV)

Entenda alguns sintomas da Influenza H1N1 (Foto: Reprodução/ Inter TV)

Sintomas

Os sintomas das Influenzas A e B são febre alta e súbita, tosse, dor de garganta, dor no corpo, dor nas articulações e dor de cabeça. No caso do H1N1, subtipo da Influenza A, um sintoma que chama a atenção é a falta de ar e o cansaço excessivo.

É importante distinguir a gripe do resfriado comum, que é muito mais leve, com sintomas menos graves como coriza, mal estar, dor de cabeça e febre baixa.

Vacinação

A vacina contra a gripe é atualizada todo ano. A Organização Mundial de Saúde (OMS) informa quais são os tipos de vírus que estão circulando e, com base nesta informação, as vacinas são produzidas. Assim, a cada ano, a cada nova temporada de gripe, todos devem vacinar.

Há dois vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e dois vírus Influenza B. O H3N2, que causou um surto nos Estados Unidos neste último inverno está contido na vacina de 2018.

Os grupos que podem receber a vacina gratuitamente na rede pública são: crianças de 6 meses a 5 anos de idade; gestantes; puérperas, isto é, mães que deram à luz há menos de 45 dias; idosos; profissionais de saúde; professores da rede pública ou privada; portadores de doenças crônicas; povos indígenas e pessoas privadas de liberdade. Estes grupos necessariamente devem receber a vacina da gripe. Na rede privada, a vacina da gripe pode ser administrada para todas as pessoas.

De acordo com o Ministério da Saúde, a expectativa é vacinar 54,4 milhões de pessoas neste ano. A vacinação é realizada até 1º de junho em todos os postos de saúde do país.

Entenda os tipos de influenza e mutações

O vírus influenza é dividido em tipos, subtipos e linhagens. Todas essas variações correspondem a diferenças encontradas no material genético do vírus.

Primeiro, em relação ao tipo, o influenza é dividido em A, B e C. O vírus A e B são os que infectam seres humanos; já o tipo C, não é incluído em vacinas e não tem relevância para a saúde pública até o momento.

Já essas formas H3N2, H1N1, dentre outras, referem-se aos subtipos do influenza A. As letras H e N referem-se a proteínas encontradas na superfície do vírus, respectivamente, neuraminidase e hemaglutinina.

Os números, por sua vez, são referentes à maneira como essa proteína é apresentada, como uma haste mais longa, por exemplo.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE