Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Fiscalização ambiental será intensificada para combater pesca predatória no Tapará

Com o fenômeno natural conhecido como “iaiw” no verão amazônico, os lagos ficam mais rasos, facilitando a captura e mortandade de espécies.

 

Estudos e fiscalizações devem ser realizadas nos lagos do Tapará, em Santarém, oeste do Pará, para prevenir a pesca predatória e a mortandade das espécies na região. O assunto foi tratado durante reunião na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, nesta quarta-feira (9), com a participação do Instituto de Pesquisa da Amazônia (Ipam) e o Conselho de Pesca da região do Tapará.

Com o verão amazônico se aproximando, um fenômeno natural conhecido como “iaiw” ocorre nos lagos. Na região da várzea inicia o processo de baixa das águas e alguns igarapés e lagos acabam secando por completo, facilitando a pesca predatória e a mortandade das espécies na região da várzea.

Reunião para tratar de assutos da pesca na região do Tapará (Foto: Divulgação/Ascom (PMS)) Reunião para tratar de assutos da pesca na região do Tapará (Foto: Divulgação/Ascom (PMS))

Reunião para tratar de assutos da pesca na região do Tapará (Foto: Divulgação/Ascom (PMS))

O presidente do Conselho de Pesca da região do Tapará, Raimundo Júlio Sousa, disse que a questão da pesca predatória está presente em todas as comunidades. "O iaiw que deixa os lagos mais rasos, pode facilitar a captura das espécies e agravar o problema na região, podendo até acontecer a escassez do pescado”, informou.

A região do Tapará é composta por nove comunidades, com aproximadamente cinco mil pessoas, que seguem o acordo de pesca da própria região.

A secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, juntamente com o Ipam, deverá encaminhar equipe técnica para avaliar quais os lagos que devem sofrer com o fenômeno e a melhor forma para fazer o transporte do pescado para canais mais profundos, como os rios que banham as próprias comunidades, caso o fenômeno ocorra esse ano.

O Conselho de Pesca da região do Tapará deverá realizar uma reunião no dia 7 de julho, no Centro Comunitário de Bela Vista do Tapará, que deverá tratar de todas as questões relacionadas à pesca nessas áreas.

Lagos da região do Tapará têm sido alvos de pesca predatória (Foto: Semma/Divulgação) Lagos da região do Tapará têm sido alvos de pesca predatória (Foto: Semma/Divulgação)

Lagos da região do Tapará têm sido alvos de pesca predatória (Foto: Semma/Divulgação)

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE