Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Juiz de Fora tem mais de 1.100 cartões bloqueados após 10 semanas com biometria facial em coletivos

Balanço foi divulgado pela Secretaria de Transporte e Trânsito. Das 1.113 gratuidades bloqueadas, 300 responsáveis entraram com recurso.

 
 -  Bloqueios começaram após funcionamento do sistema de reconhecimento facial nos ônibus urbanos  Foto: Reprodução/TV Integração
Bloqueios começaram após funcionamento do sistema de reconhecimento facial nos ônibus urbanos Foto: Reprodução/TV Integração

A Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) da Prefeitura de Juiz de Fora divulgou nesta sexta-feira (13) o balanço das primeiras 10 semanas de uso do sistema de reconhecimento facial nos ônibus urbanos.

De acordo com o levantamento, já foram bloqueados 1.113 cartões de gratuidade do transporte público em caráter de advertência. (veja tabela abaixo)

As aferições registradas pela Settra apontaram para uma redução sucessiva no número de bloqueios a cada semana. Na primeira, o número de cartões bloqueados foi de 236, já na terceira, o registro caiu para 201. As reduções continuaram, até que na décima semana apenas sete cartões foram bloqueados.

Cartões bloqueados por biometria facial em Juiz de Fora

Fonte: Settra deslize para ver o conteúdo

De acordo com a gerente do departamento de Transporte Público, Andréa Júlia Gonzalez, a queda significativa nas infrações é fundamental para a manutenção dos benefícios da gratuidade a quem realmente tem direito.

"Esses números refletem a conscientização da população e um maior respeito, não só aos usuários que possuem o direito da gratuidade, mas também àqueles que pagam a tarifa", afirmou.

Ainda segundo a Settra, sobre total de cartões bloqueados, pouco mais de 300 usuários apresentaram recurso e já foram julgados pela comissão multidisciplinar. Não foi divulgado, no entanto, a porcentagem de recursos deferidos ou não.

Regulamentado sistema de reconhecimento facial no transporte público de Juiz de Fora

Regulamentado sistema de reconhecimento facial no transporte público de Juiz de Fora

Sistema de Biometria Facial

A verificação da identidade do usuário é feita através de uma câmera acoplada ao validador da passagem. Com o equipamento, assim que o usuário valida a entrada no ônibus, tem sua imagem capturada e comparada com a do cadastro.

Em caso de irregularidade, o cartão do usuário é bloqueado por 30 dias. O proprietário deve procurar, então, o Consórcios Integrados de Transporte Urbano (Cinturb) para ser informado sobre o motivo do bloqueio.

O responsável precisa assinar um termo de ciência e terá cinco dias para recorrer do bloqueio. O recurso é analisado por uma comissão multidisciplinar, composta por membros de secretarias e representantes das entidades que atendem aos portadores de gratuidade.

Os usuários que tiverem o cartão bloqueado e não comparecerem ao Cinturb em até 72 horas terão os nomes publicados no Diário Oficial do Município e poderão recorrer do bloqueio em até cinco dias.

Quando o validador não libera a roleta em função do bloqueio do cartão, o usuário tem a opção de pagar a passagem ou entregar o cartão ao cobrador e seguir viagem.

Sistema flagra fraudes em cartões de gratuidades em ônibus em Juiz de Fora

Sistema flagra fraudes em cartões de gratuidades em ônibus em Juiz de Fora

Quem tem direito ao benefício

O sistema de reconhecimento facial é aplicado aos portadores de gratuidade do transporte público, que são os idosos, deficientes sem ou com acompanhante, escolares, rodoviários, portadores de passe livre e usuários do bilhete único.

Veja como deve ser o procedimento de cada tipo de usuário da gratuidade:

  • Cartão PCD: mesmo sem passar na roleta, o titular deve aproximar o cartão do validador, para a captura da imagem;
  • Cartão para deficientes com acompanhante: o titular deverá passar primeiro, para não ter o seu benefício bloqueado;
  • Criança menor de idade: deve ser levada no colo.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE