Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍTICA

Deputado contrata ex-secretário de MT e pede acesso ao inquérito das fraudes no Detran

 
 -
O deputado estadual Mauro Savi (PSB) encaminhou uma procuração na Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz-MT) concedendo poderes ao advogado e ex-Chefe da Casa Civil, Paulo Taques, para representá-lo perante a Polícia Judiciária Civil e o Ministério Público Estadual. Taques defende os interesses de Savi nas investigações sobre o esquema de desvios de recursos e lavagem de dinheiro no Detran apurados na "Operação Bereré".

O documento data de 19 de fevereiro. Além da procuração outorgando poderes a Paulo Taques, o parlmentar também pediu acesso aos depoimentos e interrogatórios da investigação.

Savi é apontado como um dos líderes do esquema que teria desviado inicialmente cerca de R$ 27,7 milhões do orgãos, já que ele teria indicado os presidentes do orgão, inclusive Teodoro "Dóia" Lopes, delator da operação. “Mauro Luiz Savi, devidamente qualificado e representado nestes autos perante o Tribunal de Justiça e seu Relator, vem por seu advogado, em virtude da quebra de sigilo deferida e, também com arrimo na Sumula Vinculante 14 do STF e o Estatuto da OAB, requerer – caso exista e não haja oposição -, cópia dos depoimentos e interrogatórios já colhidos e demais documentos juntados ao caderno investigativo conduzido por Vossas Senhorias”, diz trecho do documento.

Curiosamente, além de Mauro Savi, o próprio Paulo Taques foram citados nos depoimentos que fazem parte do inquérito da "Operação Bereré". Em oitiva, o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (sem partido), acusou Savi e Taques de dividirem a propina entregue pela empresa EIG.

O escritório de advocacia do ex-chefe da Casa Civil prestava serviços jurídicos a antiga FDL Serviços de Registros (atual EIG Mercados), apontada como uma das empresas por trás do esquema de corrupção no Detran de Mato Grosso.

Taques nega qualquer relação com a EIG, apesar de advogados do seu escritório terem recebido uma procuração da empresa em outubro de 204, um dia após o governador Pedro Taques (PSDB) vencer a eleição em Mato Grosso. Já em relação a Mauro Savi, uma das denúncias apontadas pelo ex-presidente do Detran de Mato Grosso e também delator do esquema, Teodoro Moreira Lopes, o “Doia”, é de que o deputado estadual teria doado 400 cabeças de gado a Doia para que ele não prejudicasse o andamento do contrato com a FDL Serviços.

Deflagrada no dia 19 de fevereiro de 2018, a "Operação Bereré", do Ministério Público Estadual e da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e contra a Administração Pública (Defaz-MT), desbaratou uma quadrilha que lavava dinheiro e desviava recursos públicos por meio de empresas que prestam serviços ao Detran-MT. O bando agia desde 2009 e teria desviado em torno de R$ 1 milhão por mês.


folha max

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE