Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

GOIÁS - Vítimas de enchente em Ceres e Rialma vão receber Cheque Mais Moradia

 
 -
Defesa Civil continua o cadastramento das famílias, na medida em que recebe os chamados. Em visita aos municípios no domingo (11/3), os ministros das Cidades, Alexandre Baldy, e da Integração Nacional, Helder Barbalho, também prometeram ajudar na recuperação dos pontos atingidos pela chuva. Em Ceres, as cabeceiras de duas pontes desmoronaram e várias casas foram atingidas Comunicação Zé Eliton

O vice-governador Zé Eliton determinou à Agência Goiana de Habitação (Agehab) que beneficie com Cheque Mais Moradia, nas modalidades Reforma e Construção, famílias vítimas de enchente em Ceres e Rialma, no Vale do São Patrício. Zé Eliton vistoriou os estragos causados pela chuva nos municípios na sexta-feira (9/3). Uma equipe da Agência participou das visitas da Defesa Civil e Prefeitura de quinta-feira a domingo (8 a 11/3) e levantou até agora um total de 35 famílias em situação de risco em Ceres e três em Rialma.

Em Ceres, são 30 moradores que tiveram danos como queda de muro ou telhado e sistema elétrico danificado, por exemplo. Estas estão aptas a receberem Cheque Reforma, desde que se enquadrem nas regras do programa e apresentem os documentos necessários. Outras cinco tiveram as moradias interditadas pela Defesa Civil e devem receber Cheque Construção em convênio com a prefeitura.

A Defesa Civil continua o cadastramento das famílias, na medida em que recebe os chamados. Em visita aos municípios no domingo (11/3), os ministros das Cidades, Alexandre Baldy, e da Integração Nacional, Helder Barbalho, também prometeram ajudar na recuperação dos pontos atingidos pela chuva. Em Ceres, as cabeceiras de duas pontes desmoronaram e várias casas foram atingidas.

A diarista Eliane Cândida Batista, 36 anos, espera que o Cheque Reforma ajude na reconstrução da área dos fundos de sua casa. Ela conta que o temporal derrubou o muro de contenção, que caiu na parte posterior de sua moradia, que teve que ser parcialmente interditada. Grávida de quatro meses, com uma filha de 12 anos, Eliane estava em casa com o marido quando aconteceu o desabamento. “Graças a Deus, nada mais grave aconteceu. Mas estamos impedidos de entrar em casa à noite. Espero que a moradia esteja segura para a chegada do meu bebê”, afirmou.

jQuery(document).ready(function($) { $.post('http://imprensaja.com.br/portal/wp-admin/admin-ajax.php', {action: 'wpt_view_count', id: '9839'}); });

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE