Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Arcebispo destaca necessidade de reflexão sobre violência em Juiz de Fora: '''Todos os dias há notícias de crimes'''

Dom Gil Antônio Moreira falou durante lançamento da Campanha da Fraternidade, que começa nesta Quarta-Feira de Cinzas.

 
 -  Arcebispo Dom Gil Moreira  centro  falou sobre tema da Campanha da Fraternidade em coletiva em Juiz de Fora  Foto: Leandro Novaes/Arquidiocese de Jui
Arcebispo Dom Gil Moreira centro falou sobre tema da Campanha da Fraternidade em coletiva em Juiz de Fora Foto: Leandro Novaes/Arquidiocese de Jui

Promover uma reflexão sobre o aumento das manifestações de violência na sociedade é a proposta da Campanha da Fraternidade 2018. A partir desta Quarta-Feira de Cinzas (14), até o Domingo de Ramos, no dia 25 de março, haverá discussões e eventos dentro do tema "Fraternidade e Superação da Violência". O lema é o versículo do Evangelho de São Mateus: "Vós sois todos irmãos".

Em Juiz de Fora, a programação da Campanha começa com uma missa, às 19h desta quarta, na Catedral Metropolitana, presidida pelo arcebispo Dom Gil Antônio Moreira.

Ele ressaltou, durante a coletiva de lançamento da Campanha da Fraternidade na cidade na última sexta-feira (9), que a proposta é ecumênica e envolve a participação de todas as pessoas na discussão.

"O aumento dos casos na família, na sociedade, na juventude tem nos assustado. Fazemos uma proposta para todos, não apenas os católicos, refletirem sobre isso e procurarmos, à luz do Evangelho e do Cristo que amamos, uma forma de solucionar a violência atinge a todos, independente de religião, de qualquer posição social que a pessoa esteja", analisou.

Em 2018, Juiz de Fora registrou 13 homicídios consumados, levando em conta apenas uma das modalidades que as polícias qualificam como "crimes violentos". O último foi no domingo de carnaval (11) (confira a lista abaixo).

Há quase dez anos morando na cidade, o arcebispo metropolitano considera que este indicador torna ainda mais relevante a campanha.

"A nossa região é muito violenta. Eu cheguei aqui vindo de São Paulo e a gente observava que era um clima de muito menos violência do que o lugar em que eu estava antes. Agora, eu vi que a violência cresceu muito em Juiz de Fora, todos os dias há notícias de crimes, sendo que nem todos são publicados. Então, eu penso que a Campanha da Fraternidade deste ano vem a calhar em nossa cidade também, para ajudar a população a descobrir meios para vencer esse índice e esse clima de violência", respondeu em entrevista ao G1.

Para o líder religioso, abordar a violência na Campanha da Fraternidade é uma forma de admitir a situação enfrentada pela sociedade e refletir em busca de soluções.

"Sobretudo através da conscientização do estado de violência em que nós vivemos, mas também pela reflexão, a partir do Evangelho, e até da oração", disse.

"Nós temos que rezar para vencer esse clima de violência e esse índice de homicídios que há. Então, a Campanha da Fraternidade, sem nenhuma dúvida, vai ajudar-nos a pensar e a descobrir caminhos novos para vencer esse estado tão preocupante", completou Dom Gil.

Durante as sete semanas da Quaresma, a discussão da Campanha da Fraternidade é mais intensa. Cada uma das 90 paróquias dos 37 municípios que pertencem à Arquidiocese de Juiz de Fora terá iniciativas próprias para debater o tema.

"A Via-Sacra Jovem ao Morro do Cristo, no dia 25 de fevereiro. Nós ajuntamos ali milhares de jovens todos os anos e refletimos sobre o tema da campanha. É um gesto concreto com a juventude que, aliás, é a mais atingida pela violência em todos os níveis. Temos também a caminhada do Apostolado da Oração, que será no dia 17 de março, no mesmo local", concluiu.

Catedral de Juiz de Fora terá missa nessa Quarta-Feira de Cinzas (Foto: Roberta Oliveira/G1) Catedral de Juiz de Fora terá missa nessa Quarta-Feira de Cinzas (Foto: Roberta Oliveira/G1)

Catedral de Juiz de Fora terá missa nessa Quarta-Feira de Cinzas (Foto: Roberta Oliveira/G1)

Homicídios registrados em Juiz de Fora em 2018*

  • 01/01: Jovem, 21 anos, esfaqueado no Bairro Manoel Honório;
  • 02/01: Jovem, 26 anos, morto a tiros no Bairro Benfica. Ele teria participado de um roubo momentos antes de ser morto. Um adolescente de 14 anos foi apreendido no dia 24 de janeiro e confessou o crime, por causa de uma dívida por tráfico de drogas;
  • 04/01: Jovem, 18 anos, baleado no Bairro Nossa Senhora Aparecida. Morreu no Hospital de Pronto Socorro (HPS). Três suspeitos foram detidos;
  • 08/01: Jovem, 21 anos, corpo encontrado em um matagal do condomínio Nova Germânia com marcas de tiros e cortes no rosto. No dia 2 de fevereiro, a Polícia Civil apreendeu um adolescente de 17 anos e prendeu um jovem de 18 e um homem de 34. As apurações apontam que o crime pode ter sido motivado por causa de uma dívida que gerou rixa pessoal. Investigações continuam atrás de outros envolvidos;
  • 14/01: Jovem,19 anos, morto com sete tiros no rosto no Bairro Jardim Natal;
  • 17/01: Idoso, 75 anos, morto com golpes de pedras, tijolo, machadada em uma casa no Parque das Torres. O advogado estava desaparecido desde 2 de janeiro ao ir até o local cobrar uma dívida de dois clientes. Família registrou desaparecimento no dia 9. A Polícia Civil prendeu um jovem de 21 anos e outro de 20, apontado como o que matou o idoso e jogou o corpo no Rio Paraibuna. O celular do idoso foi localizado pela Polícia Civil, que também realizou a reconstituição do crime. O corpo do advogado não foi encontrado;
  • 18/01: Jovem de 27 anos, morto a tiros na Avenida Darcy Vargas, no Bairro São Geraldo.
  • 24/01: Adolescente, 16 anos, morto a tiros no Bairro Jardim Natal;
  • 26/01: Jovem de 25 anos, baleado no Bairro Vila Esperança, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. De acordo com Registro de Evento de Defesa Social, ele tinha passagem por por diversos crimes, entre eles homicídio, e comandaria uma gangue que vem cometendo furtos e expulsando moradores do bairro. Os suspeitos do crime estariam se vingando de furtos cometidos contra as casas deles. A Polícia Militar apreendeu dois adolescentes de 16 e 17 anos e oito detidos entre 18 e 31 anos por tentarem vingar a morte do jovem;
  • 26/01: Homem, 36 anos, baleado no dia 14 de janeiro quando chegava pra trabalhar como porteiro na Vila Branca. Morreu no dia 26 de janeiro, no HPS. Um adolescente de 17 anos foi apreendido e confessou o crime, alegando que a vítima fez disparos contra ele no dia 31 de dezembro. Inquérito fechado na Delegacia de Homicídios e encaminhado à Justiça. Adolescente encaminhado para a Vara de Infância e Juventude;
  • 06/02: Jovem, 21 anos, esfaqueado e morto na Rua Benjamim Constant ao confrontar suspeito de roubar celular do amigo;
  • 07/02: Jovem, 26 anos, morta a tiros no Bairro Alto Santa Rita. Vítima tinha passagens por tráfico de drogas;
  • 11/02: Homem, 32 anos, morto a tiros dentro de casa no Bairro Tiguera.

*Levantamento feito pelo G1 a partir de dados da Polícia Militar e Polícia Civil.

 

 

 

Veja mais:

PUBLICIDADE
Saúde e Bem Estar Limonada negra - poção ou milagre?
Comportamento Veja como os padrões masculinos mudaram ao longo dos últimos 100 anos
Celulares Recursos legais do botão central nos fones de ouvido do iPhone
Saúde e Bem Estar Seis sinais de desequilíbrio hormonal que você não deve ignorar
Saúde e Bem Estar Posições que o ajudarão a dormir mais rápido
Saúde e Bem Estar Você pode se livrar de micróbios em sua escova de dentes, e só precisa de um ingrediente
Personalidades Os 23 atores de séries mais bem pagos
Comportamento 7 sinais de que você está em um relacionamento tóxico
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE