Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

VARIEDADES

Facebook testa novo botão de classificação de comentários

 
 -
Os usuários do Facebook podem estar cada vez mais próximos de ter a sua disposição o botão “descurtir”. Isso porque a rede social criou uma nova ferramenta para avaliar o teor dos comentários nos Estados Unidos, o que seria mais um teste para evitar a propagação de notícias falsas na rede social.

O botão “downvote” (algo como “desaprovar”, em inglês) apareceu para 5% dos usuários do aplicativo Android no Facebook na última quinta-feira, 8, disse a empresa ao site de notícias norte-americano Business Insider.

A nova ferramenta aparece ao lado das opções de curtir e responder, embaixo dos comentários feitos em publicações. O botão, disse o Facebook ao site, ajudará a rede social a avaliar se determinados comentários são inadequados, mas não irá interferir no que os usuários verão em seu feed de notícias.

Segundo a publicação, quem usou a ferramenta disse que após clicar em “downvote”, aparece uma lista de opções para classificar o que motivou a escolha pelo botão. O usuário pode considerar os comentários como “ofensivo” ou “enganador”, por exemplo.

Apesar dos usuários alegarem que o novo botão funciona de forma semelhante a tão aguardada opção de “descurtir”, a rede social disse que a intenção não é essa.

“Não estamos testando um botão de descurtir. Nós estamos explorando um recurso para as pessoas nos enviarem percepções sobre comentários em publicações públicas. Isso está sendo executado por um pequeno grupo de pessoas nos EUA apenas”, disse um porta-voz do Facebook ao Business Insider confirmando que não deve aumentar a base de testes neste momento.

Estratégia. A nova ferramenta aparece como mais uma tentativa da rede social combater o compartilhamento de notícias falsas pelos usuários. Em janeiro, o Facebook anunciou mudanças no algoritmo da rede social fazendo com que diminuísse a aparição de reportagens no feed de notícias dos usuários, o início de uma série de mudanças na rede social.

Uma semana depois, a empresa anunciou que iria escolher uma parte dos seus bilhões de usuários para votar nos veículos de comunicação nos quais eles confiam. Os dados criariam uma espécie de “ranking de confiança” que ajudará o algoritmo a escolher quais notícias deve exibir na linha do tempo dos usuários.


MSN

 

 

 

Veja mais:

PUBLICIDADE
Música Ariana Grande desmente calvicie exibindo cabelos crespos
Saúde e Bem Estar Parada cardíaca durante o sexo: Quais são as chances em homens?
Saúde e Bem Estar Coisas que você não podemos emprestar de e para outras pessoas
Personalidades Os 23 atores de séries mais bem pagos
Ciência Construa passo-a-passo sua própria bobina de Tesla
Comportamento Sem espaço em casa? veja essas ideias
Variedades O que realmente aconteceu com as vítimas do Titanic?
Ecologia Meu Jardim: Vespas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE