Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Funcionários demitidos pela rede Big Ben protestam em frente ao TRT, em Belém

A empresa propôs acordo extra judicial para diminuir 30% das multas rescisórias. No Pará, trinta lojas foram fechadas e cerca de 200 farmacêuticos e 2 mil funcionários foram demitidos.

 
 -  Ex-funcionários de rede de farmácias protestam em Belém contra atrasos salariais e rescisão de contrato  Foto: Reprodução / Twitter
Ex-funcionários de rede de farmácias protestam em Belém contra atrasos salariais e rescisão de contrato Foto: Reprodução / Twitter

Centenas de trabalhadores demitidos pela rede de farmácias Big Ben protestaram nesta sexta-feira (9) em frente ao Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), em Belém, contra os atrasos de salários e rescisão de contrato. No Pará, trinta lojas foram fechadas e cerca de 200 farmacêuticos e 2 mil funcionários foram dispensados. O G1 tenta contato com representantes da categoria, mas ainda não teve resposta. A proposta foi apresentada em audiência no prédio do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8).

Apesar da discordância de parte dos ex-funcionários, um acordo parcial foi homologado durante audiência no TRT nesta sexta entre representantes da rede de farmácias Big Ben, administrada pela Brasil Pharma, e de ex-funcionários, demitidos após decreto de recuperação judicial. A empresa propôs um acordo extra judicial para diminuir 30% das multas rescisórias, valor que deve ser liberado por instituição financeira de empréstimo se caso houver adesão de 70% dos demitidos.

O Tribunal Regional do Trabalho informou que o acordo determina a liberação do FGTS depositado, baixa na carteira de trabalho - CTPS e entrega das guias do seguro desemprego para os trabalhadores. Caso o acordo seja efetivado, a empresa deve iniciar o pagamento a partir de 14 de fevereiro, no prazo de 120 dias para cumprimento.

Brasil Pharma

A Brasil Pharma, administradora da rede Big Ben, é um dos maiores grupos de varejo farmacêutico do país. O grupo ajuizou pedido de recuperação judicial depois de não conseguir resolver seus problemas financeiros extrajudicialmente, segundo informações divulgadas no dia 10 de janeiro.

A Big Ben era a maior rede do grupo, que chegou a ter 174 lojas. O pedido de recuperação foi apresentado na cidade de São Paulo e o valor da causa foi estabelecido em R$ 1,2 bilhão. A empresa afirma no pedido ter 15 mil credores.

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do G1 Pará no (91) 98814-3326.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE