Economia

Economia

Fechar
PUBLICIDADE

Economia

Com reforma, governo quer evitar déficit crescente da Previdência, diz Caetano

 
 - Marcelo Camargo/Ag ecirc;ncia Brasil
Marcelo Camargo/Ag ecirc;ncia Brasil
Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, participa do programa Por Dentro do Governo (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, disse que caso a reforma não seja aprovada, o governo teria de estudar o aumento de tributos ou o corte de gastosMarcelo Camargo/Agência Brasil

O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, disse hoje (9) que, caso a reforma da Previdência não seja aprovada, “teremos de aumentar tributos ou teremos de comprimir gastos”, em referência às medidas que poderiam ser tomadas pelo governo. Caetano deu a declaração ao deixar a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), onde participou do programa Por Dentro do Governo, da TV NBR e disse que, se não for possível reduzir o déficit, o governo precisa no mínimo fazer com que ele pare de crescer.

Saiba Mais
  • Texto atual da reforma tem 10 anos de sustentação, diz secretário da Previdência
  • Governo quer incluir Previdência na pauta da Câmara dia 19 ou 20, diz Meirelles
“Queremos evitar o aumento de tributos porque os brasileiros já pagam quatro meses por ano em tributos. Mas se não fizermos a reforma, o tributo, que já é alto, poderá ser elevado”, disse Caetano durante a participação no programa. “Prevenir é melhor do que remediar. Temos de prevenir. É como quando acontece uma infiltração na casa. O melhor a fazer é reconhecer e enfrentar o problema para resolvê-lo. Caso contrário, com a infiltração, a casa acaba caindo”, acrescentou.

De acordo com Caetano, a reforma vem “para garantir um serviço público de melhor qualidade”. Ele lembra que, no ano passado, o déficit previdenciário estava em R$ 268 bilhões. “É mais do que vale uma empresa como a Petrobras, e é um número que cresce. Desde 1995, quando o déficit era de R$ 1 bilhão [em valores que consideram a inflação], a Previdência Social apresenta déficits milionários que só crescem. No ano passado bateu R$ 180 bilhões. Se não der para eliminar esse déficit, queremos pelo menos impedir que seja crescente”.

Ainda argumentando a favor da aprovação da reforma pelo Congresso Nacional, Caetano disse que o governo tem três objetivos a serem atingidos por meio das mudanças na legislação previdenciária. “Um dos objetivos é a igualdade. Não fará diferença se for para deputado, juiz ou desembargador: as regras são as mesmas. Outro [objetivo], relacionado ao equilíbrio das contas, visa à garantia de que o dinheiro que entra seja próximo ao que sai, uma vez que o país precisa ter as contas equilibradas, inclusive para ter taxas de juros mais baixas. O terceiro a ser considerado é o que leva em conta se a alteração [no texto da reforma] vai facilitar sua aprovação [pelo Legislativo]”.

Segundo o assessor da Casa Civil, Bruno Bianco, que também participou do programa na TV NBR, as mudanças previstas pela reforma resultarão em uma Previdência “mais justa, correta, equalizada e equânime”. ”Ela mantém a possibilidade de aposentadorias especiais para deficientes e pessoas que trabalham com agentes nocivos ou algo que faça mal a sua saúde. Obviamente sofre alterações, mas ainda existirá a possibilidade de aposentadoria com menos tempo e menor idade [para esse público]”. Bianco acrescentou que “os segurados especiais, que são tipicamente os trabalhadores rurais, não serão tocados: tudo continuará como está”.

Ao deixar o programa, Caetano disse que o déficit também poderia ser amenizado por meio da Medida Provisória 805/2017, que atualmente foi suspensa por determinação judicial. A MP prevê o adiamento do aumento da remuneração de servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, além de aumentar de 11% para 14% a alíquota de contribuição de servidores que recebam acima do teto previdenciário.

“Essa MP envolve algumas questões judiciais, mas o que ela faz é tributar em 14% quem recebe acima do teto do RGPS [Regime Geral de Previdência Social, que atualmente está em R$ 5.645,80]. Quem recebe aquém deste teto ficará nos 11%”, disse o secretário.

Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, e o assessor da Casa Civil Bruno  Bianco, participam do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, e o assessor da Casa Civil Bruno  Bianco, participam do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, participa do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, participa do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, participa do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, e o assessor da Casa Civil  Bruno  Bianco, participam do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, participa do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O assessor da Casa Civil Bruno  Bianco, participa do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Brasília - O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, participa do programa Por Dentro do Governo  (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

 

 

Veja mais:

PUBLICIDADE
Turismo Castelo Yester, as ruínas de uma contrução histórica envolta em misticidade
Saúde e Bem Estar Coisas que você não podemos emprestar de e para outras pessoas
Saúde e Bem Estar Diminua as marcas de celulite usando borra ou pó de café
Variedades Conheça alguns trabalhos nada comuns
Cinema Criadores de Game of Thrones farão continuidades de Star Wars
Variedades 18 coisas que só sabem quem tem irmãos
Ciência Fotos do primeiro dinossauro do mundo em perfeito estado são divulgadas
Culinária Bolo de leite condensado (sem farinha)
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE